TCE aponta falta de monitoramento em aterros de Campinas
Reprodução: ACidade ON
TCE aponta falta de monitoramento em aterros de Campinas


O TCE (Tribunal de Contas do Estado) apontou falta de monitoramento em dois aterros sanitários desativados de Campinas. Os terrenos ficam nos bairros Satélite Íris e Parque Santa Bárbara. Por conta da situação, a Prefeitura de Campinas chegou a ser multada pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) - veja mais abaixo.

Ainda de acordo com o Tribunal, além da falta de monitoramento dos aterros, a operação coordenada, realizada esse mês, também apontou outros problemas aqui em Campinas.

"Em Campinas, especificamente, nós encontramos falhas na coletiva seletiva, porque falta a coleta de resíduos em alguns pontos. Há descarte irregular em vários pontos da cidade. Falta uma campanha de esclarecimento à população", disse o presidente do TCE de São Paulo, Dimas Ramalho.

Ainda de acordo com ele, o aterro Pirelli (no Satélite Iris) não tem alambrado na parte do perímetro. "E, no aterro Santa Bárbara, não há alambrado de proteção nem vigilância. São falhas importantes. O prefeito será notificado para corrigir isso. São dados que coletamos e que vamos disponibilizar, depois tomaremos providências", afirmou.

PIRELLI

O aterro conhecido como "antigo lixão Pirelli" fica no bairro Satélite Íris. Durante 13 anos o local recebia todos os tipos de resíduos, como domésticos, hospitalares e lixo industrial.

O lixão foi desativado em 1985, ou seja, há 37 anos. Ao longo dos anos, a área vem causando vários transtornos pros moradores e comerciantes do bairro.

Com o local funcionou como um lixão ou aterro sanitário, ele não pode ser imediatamente utilizada para outros fins, porque pode oferecer riscos a população, devido a contaminação do solo, água, já que vários tipos de resíduos foram despejados durante o período de funcionamento.

Por isso, são locais que, mesmo desativados, precisam ser constantemente monitorados. O terreno só pode ser utilizado novamente, quando laudos técnicos apontarem que a área já não apresenta mais riscos. 

Leia Também

Leia Também

MULTA

No total, hoje, em Campinas, são três aterros desativados. Apenas um tem sido monitorado atualmente pela Prefeitura, sendo ele chamado de Delta. Os outros dois, o lixão da Pirelli, no Satélite Íris, e o aterro do Parque Santa Bárbara, desativado desde 1992, não passam por avaliação de risco da Prefeitura há dois anos.

Por esse motivo, o município foi multado pela Cetesb em 2020. Na época, foi aplicado multa de R$ 37 mil por cada área não monitorada.

PREFEITURA


Sobre a situação, o secretário de Serviços Públicos de Campinas, Ernesto Paulella, explicou que o monitoramento das duas áreas foi suspenso devido ao encerramento de contrato com a empresa responsável. 

"O contrato de monitoramento do Pirelli e do Santa Bárbara terminou no final de 2020, quando já tinha uma licitação para recontratar. Essa licitação foi parada duas vezes pelo próprio Tribunal de Contas, em função de representações de empresas. Agora, nos próximos dias, o edital deve ir para a rua novamente", disse.

Ainda de acordo com o secretário, o caso mais grave é o antigo lixão do Pirelli, já que está contimando por lixos industriais e químicos. Ele disse também que a Prefeitura já pediu à Cetesb o plano de encerramento da área no Santa Bárbara para transformar o local em um parque ecológico.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários