Lotado, Hospital PUC-Campinas suspende cirurgias agendadas
Reprodução: ACidade ON
Lotado, Hospital PUC-Campinas suspende cirurgias agendadas

Com a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Neonatal superlotada e o Centro Obstétrico totalmente em uso, o Hospital PUC-Campinas vai suspender a partir desta quinta-feira (19) a realização das cirurgias agendadas.

Anunciada no fim da tarde desta quarta (18) pela diretoria técnica da unidade de saúde, a medida tem o objetivo de abrir mais leitos para as mães que atualmente precisam ficar no Centro Obstétrico depois do parto.

A diretora técnica do hospital, Rita Aparecida Ignacio Ishida, argumenta que as pacientes atualmente não são atendidas de maneira adequada por conta da demanda alta. Ela também reconhece que a situação é crítica.

"A suspensão das cirurgias eletivas de hospital dia é para poder tirar as puérperas do centro, porque a enfermaria está completamente ocupada. E isso agora é um risco, porque não temos como atender da forma ideal", diz.

Por esse motivo, a diretora pede à população que procure outros locais enquanto a situação não é resolvida ou amenizada . O município e o estado também foram informados pelo hospital sobre o problema.

LEIA TAMBÉM
Campinas: UTI infantil do SUS Municipal volta a ficar sem vagas


SUPERLOTAÇÃO

Mais cedo, o Hospital PUC-Campinas informou que atende hoje 28 bebês. Entre eles, 26 são do SUS (Sistema Único de Saúde), 10 a mais do que o previsto no acordo com o estado. Além disso, quatro são de outros municípios.

A superlotação foi confirmada na tarde desta quarta pela instituição. O comunicado pedia à população que procure outras unidades de saúde da cidade.

"Há ainda no Pago (Pronto Atendimento de Ginecologia e Obstetrícia) e no Centro Obstétrico quatro gestantes com previsão de parto prematuro. Ou seja, possivelmente necessitarão de um leito de UTI Neonatal", detalhou a nota.

ENFERMARIA

Ainda conforme a PUC-Campinas, a enfermaria também está lotada: "o que impacta no Centro Obstétrico que não consegue transferir as puérperas (pós-parto) à enfermaria". Isso porque ambos os espaços estão completamente lotados.

O hospital alega ainda que a superlotação é comunicada diariamente aos órgãos públicos competentes e à Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde) e prometeu detalhar melhor o panorama à imprensa na tarde de hoje.

NO CAISM

No Caism (Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher) da Unicamp, também há superlotação na UTI Neonatal, com 18 crianças internadas em um espaço com 15 leitos operacionais.

"Seguimos com superlotação, com três recém-nascidos prematuros internados no centro obstétrico porque não temos vagas de UTI", informou a unidade à EPTV Campinas.

NA MATERNIDADE

No Hospital Maternidade de Campinas, a direção também confirmou 100% de ocupação: são 22 pacientes internados pelo SUS, sendo quatro de outros municípios.

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários