Médicos voluntários atendem pacientes na área de cobertura do Centro de Saúde do San Martin
Reprodução/Unicamp
Médicos voluntários atendem pacientes na área de cobertura do Centro de Saúde do San Martin


Uma frente de saúde voluntária iniciou um trabalho para atender em casa moradores idosos e diabéticos do bairro San Martin . A iniciativa, que tem o objetivo de diminuir a exposição dessas pessoas ao novo coronavírus , é coordenada pelo Observatório de Diretos Humanos (ODH) da Unicamp, em parceria com a Rede Municipal de Saúde de Campinas. 

A expecteativa é que mais de 500 pessoas sejam atendidas dentro da área de cobertura do Centro de Saúde do San Martin . A escolha do bairro levou em consideração a vulnerabilidade da região. Além disso, a unidade de saúde local já trabalhava com ferramentas de que facilitam a construção de vínculo com os pacientes.

“Eles já trabalham com Saúde da Família. É uma equipe animada, disponível para o cuidado e parceria com a Unicamp, onde já recebem os residentes da FCM da área de Saúde da Família e de Saúde Mental”, explica Silvia Maria Santiago , vice-coordenadora do ODH e professora da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp.

Leia também: Unicamp agiliza testagem para Covid-19 com robô e kits sul-coreanos

O trabalho de preservação de diabéticos e idosos no atual de contexto de pandemia é apenas uma extensão das atividades assistenciais desenvolvidas por professores do FCM. Segundo Silvia, esse tipo de auxílio é oferecido desde a década de 1960.

“Em Campinas, desde há muito tempo, nós da FCM atuamos nas regiões Norte e Leste da cidade, mas há trabalho nas demais regiões, tanto na graduação, como na residência médica e multiprofissional e também na pós-graduação”, afirma.

Mais ações

Além dos idosos e diabéticos, outros grupos que estão recebendo atenção especial são pacientes crônicos e gestantes .

 “Na atualidade, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) estão voltadas à atenção das doenças respiratórias e à vacinação contra a H1N1. Além disso, muitas estão desfalcadas porque alguns profissionais precisaram se afastar do trabalho por pertencem ao grupo de risco ou por apresentaram sintomas suspeitos para a Covid-19”, diz Silvia. 

A equipe de apoio do Programa de Saúde de Família e Comunidade é formada por médicos, psicólogos e terapautas ocupacionais da residências de Saúde Mental da FCM. Em breve, o grupo deve contar também com um profissional da área de nutrição. 

    Veja Também

      Mostrar mais