Marcos Pimenta, presidente da Rede Mário Gatti, falou sobre a contratação de novos leitos de UTI.
Carlos Bassan
Marcos Pimenta, presidente da Rede Mário Gatti, falou sobre a contratação de novos leitos de UTI.


O Sistema Único de Saúde (SUS) de Campinas está com 85% dos leitos de UTI ocupados, de acordo com dados divulgados pela Prefeitura nesta quarta-feira (27). Diante deste cenário, o prefeito Jonas Donizette solicitou ao governo estadual a ampliação do número de leitos de UTI no Ambulatório Médico de Especialidades (AME) .

Parte do SUS estadual, assim como a Unicamp, o AME opera com 15 UTIs, mas a expectativa é que esse número aumente para 35. A unidade está sendo utilizada exclusivamente para atendimento a pacientes com Covid-19. Quanto ao SUS municipal, a Prefeitura informou que já providenciou novos leitos. 

“Estamos nos preparando para esse cenário há algum tempo. Estamos criando novos leitos de UTI, com 15 no Hospital Ouro Verde que foram alocados numa área específica da unidade na semana passada. E agora serão mais 30 no Hospital Mário Gatti”, afirmou o presidente da Rede Mário Gatti, Marcos Pimenta.

Leia também: Com plano de Doria, Campinas pode reabrir comércio, shoppings e escritórios

A expectativa é que os leitos no Mário Gatti sejam abertos até o final de semana. Trinta médicos já foram selecionados e classificados por meio de um processo seletivo emergencial.

Com 1.287 casos de Covid-19 e 65 mortes, segundo atualização feita na manhã desta quarta-feira (27), Campinas pode retomar comércios, shoppings, imobiliárias, concessionárias e escritórios, a partir do dia 1º de junho. A liberação partiu do plano de reabertura econômica anunciado pelo governador João Doria, mas a aplicação dependerá da decisão do prefeito Jonas Donizette, que se pronunciará na tarde desta quinta-feira (28)

    Veja Também

      Mostrar mais