Vigilância Sanitária fechou estabelecimentos em Barão Geraldo
Carlos Bassan
Vigilância Sanitária fechou estabelecimentos em Barão Geraldo


Uma força-tarefa da Vigilância Sanitária de Campinas interditou três estabelecimentos que não estão autorizados a funcionar durante a pandemia de Covid-19 . A ação, realizada na quarta-feira (24) teve apoio do Procon (Departamento de Proteção ao Consumidor), do Setec (Serviços Técnicos Gerais) e da Secretaria de Planejamento (Seplurb) e Urbanismo, Guarda Municipal e Defesa Civil.

Na última segunda-feira (22), começou a vigorar o decreto do prefeito Jonas Donizette que determinou o fechamento de comércios de rua e shoppings, duas semanas depois da reabertura. A decisão foi tomada depois de um acréscimo intenso no número de casos de Covid-19 , o que vem sobre carregando as UTIs, tanto na rede pública quanto na rede privada.

Leia também: Covid-19: Campinas bate recorde com 90,1% de lotação em UTIs públicas e privadas

Além das interdições, os fiscais distribuíram autos de infração em 14 estabelecimentos, por irregularidades de acordo com o decreto da pandemia. Esses locais foram multados em 400 Unidades Fiscais de Campinas, o que equivale a R$ 1.4446,44.

Aberta com irregularidades, uma drogaria foi notificada a parar de fazer testes rápidos para o novo coronavírus até que se adapte às regras em vigência. No total, 72 estabelecimentos foram fiscalizados.

Irregularidades

Os locais que receberam a visita da Vigilância Sanitária foram escolhidos a partir do número de denúncias recebidas, principalmente via telefone 156. Os motivos das atuações foram:

- funcionar estabelecimento não considerado essencial;

- sem demarcação;

- sem fornecimento de máscara em número suficiente para os funcionários;

- consumo de alimento no local;

- aglomeração;

- sem controle de fluxo de pessoas;

- sem Declaração de Estabelecimento Responsável.

    Veja Também

      Mostrar mais