Prisões em Campinas levaram a descoberta de desmanche em Sumaré.
Divulgação/GM
Prisões em Campinas levaram a descoberta de desmanche em Sumaré.


A Guarda Municipal de Campinas descobriu um desmanche clandestino de veículos no bairro Chácara Bela Vista, em Sumaré, após efetuar prisões em Campinas , na quarta-feira (24), quando dois homens foram detidos no Jardim Centenário com várias chaves de carros.

Durante a abordagem, os suspeitos confessaram que as chaves eram de veículos roubados e deram aos guardas o endereço onde ocorriam os desmanches. Ao chegarem no imóvel, os guardas encontraram  peças de mais de 20 veículos de marcas e modelos diferentes, sem identificação.

Leia também: Comércio fechado: Força-tarefa interdita estabelecimentos em Barão Geraldo

 “Eles retiravam a numeração do chassi, quebravam os vidros. A perícia encontrou pelo menos sete veículos que foram furtos de crime”, disse o comandante da GM, Márcio Frizarin. Os carros eram roubados, desmontados e as peças vendidas clandestinamente.

O desmanche

O imóvel era uma casa com salas à prova de som, para que vizinhos não escutassem os barulhos provocados pelo processo de desmanche . Além disso, o local era equipado com câmeras de vigilância utilizadas para monitorar a chegada da polícia e bloqueadores de sinal de rastreamento.

Por causa do equipamento, as pessoas que estavam no imóvel conseguiram fugir assim que viram a chegada das viaturas. Sgundo a GM, os pedaços dos mais de 20 carros estavam espalhados pelos cômodos da casa, divididos por categoria, como peças de motor, suspensão, embreagem, pneus e lataria, todos sem placa.

A GM informou que um dos presos confessou que fazia o transporte dos veículos. “Era um esquema que os proprietários deixavam as chaves no porta-malas do carro para facilitar o roubo do veículo e o transporte para o desmanche e, com isso, aplicar o ‘golpe do seguro’”, suspeita o Comandante Frizarin.

    Veja Também

      Mostrar mais