Número de queimadas aumento entre maio e junho.
Divulgação
Número de queimadas aumento entre maio e junho.


A Defesa Civil de Campinas registrou 74 focos de incêndio, entre 1º de maio e 28 de junho, aumento de 64 casos em relação ao mesmo período em 2019, quando foram registrados dez focos. O número de vistorias preventivas também foi maior, subindo de 87 para 335. Os números foram apresentados nesta terça-feira, dia 30 de junho, na reunião ordinária do Comitê Gestor da Operação Estiagem 2020 .

De acordo com o histórico, os incêndios costumam se intensificar nos próximos meses, entre julho, agosto e setembro. Durante 2019, nesses três meses, a Defesa atendeu 11 casos em julho, 54 em agosto e 67 setembro, o que corresponde a um total de 132 focos de incêndio. No mesmo período foram realizadas 367 vistorias preventivas: 52 em julho, 191 em agosto e 124 em setembro.

Leia também: Mãe de autistas celebra direito de plantar cannabis: 'Uma vitória de muitas'

O cenário preocupada os órgãos responsáveis pela fiscalização e combate às queimadas, como a própria defesa Civil, além das secretarias municipais do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, de Serviços Públicos, da Comunicação, além da Sanasa e da Mata de Santa Genebra. Com a pandemia de Covid-19 , o risco dos incêndios é ainda maior, uma vez que eles contribuem para agravar doenças respiratórias.

“A estiagem e as queimadas estão sendo tratadas como um eixo estratégico no Comitê Municipal de Enfrentamento da Pandemia de Infecção Humana pelo novo Coronavírus (Covid-19) em virtude da complexidade. Em tempo de coronavírus, é necessário reduzir o número de pessoas que buscam atendimento no sistema público de Saúde com problemas respiratórios decorrentes do período do tempo seco”, avalia o diretor da Defesa Civil, Sidnei Furtado.

Fiscalização

A Secretaria Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, que integra a Operação Estiagem, aplica as medidas necessárias, preventivas e punitivas, para combater as queimadas. Provocar incêndio ambiental é crime.

Poderão ser aplicadas penalidades de advertência e multa, variando de 80 a 80 mil Unidades Fiscais de Campinas (UFICs), valores que correspondem a R$ 290,00 a R$ 290 mil, sem prejuízo das medidas de reparação e de compensação dos danos causados. Quando ocorrerem em áreas especialmente protegidas, o valor das multas é dobrado, podendo chegar a R$ 580 mil.

    Veja Também

      Mostrar mais