ACidade ON

Jonas Donizette foi multado em R$ 25 mil por propaganda eleitoral antecipada.
Carlos Bassan
Jonas Donizette foi multado em R$ 25 mil por propaganda eleitoral antecipada.


A Justiça eleitoral de Campinas condenou o prefeito Jonas Donizette (PSB) por propaganda eleitoral antecipada por ter pedido votos para o vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira , na época, pré-candidato à prefeitura. O caso aconteceu em fevereiro quando Jonas disse, durante a inauguração de uma estação do BRT (Bus Rapid Transit), que "quem vota em mim, vota em Henrique". Além da condenação, o prefeito foi multado em R$ 25 mil. 

Na época, o Portal ACidade ON Campinas noticiou o fato, mas foi obrigado pela Justiça a retirar do ar a reportagem, após solicitação do prefeito. Também na época, o MPE (Ministério Público Estadual) começou a apurar a suposta propaganda eleitoral. 

Leia também: Comitê define medidas para retomar aulas presenciais em setembro

No dia da fala, Jonas se referiu ao vice-prefeito de Campinas, Henrique Magalhães Teixeira, que até então era um dos três nomes indicados para a candidatura a prefeito pelo partido de Jonas. Atualmente, o candidato escolhido pelo PSB é o braço-direito do prefeito e ex-secretário de Relações Institucionais, Wanderley de Almeida, o Wandão. 

Ainda durante o discurso, o prefeito colocou o vice ao seu lado. "Eu entendo de política e entendo de gente. O Henrique é quieto, é tímido até um pouco, mas na Prefeitura o pessoal gosta mais dele do que de mim. É uma pessoa que está preparada para os desafios que vêm pela frente", disse Jonas na ocasião. 

A condenação da Justiça eleitoral é de abril e cabe recurso. Segundo o juiz eleitoral Herivelto Araujo Godoy, o pedido de votos antecipado ficou explícito. "Ficou patente que ao afirmar 'Quem gosta de mim, vai votar nele', explicitamente o representado solicitou votos para seu preferido à sucessão no cargo de prefeito municipal", disse o magistrado. 

Ele ainda lembrou que a propaganda eleitoral, de acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), só é permitida após o dia 15 de agosto. "Essa data tem seu motivo, pois até esse momento são feitos os procedimentos de escolha e registro de candidatos", explicou.

OUTRO LADO 

O prefeito informou, por meio de assessoria de imprensa, que não foi notificado da decisão. "Assim que isso acontecer, vai analisar e tomar as medidas cabíveis", disse.

    Veja Também

      Mostrar mais