ACidade ON

(Imagem ilustrativa) Em janeiro, motoristas de aplicativo fizeram protesto após episódios de violência
iG
(Imagem ilustrativa) Em janeiro, motoristas de aplicativo fizeram protesto após episódios de violência


A Justiça de Campinas mandou soltar o casal suspeito de matar um motorista de aplicativo e que havia sido preso na última segunda-feira (6) . A decisão, publicada na terça-feira (7), alterou a prisão em flagrante do homem de 25 anos e da mulher de 19 para preventiva.

O casal havia confessado o crime na noite de segunda. A vítima estava desaparecida desde o último dia 29 de junho, segundo a polícia. O assassinato teria ocorrido após uma discussão com o motorista durante uma corrida.

Leia também: Motociclista morre após ser atropelado por caminhão na D. Pedro 

O suspeito ainda havia passado a identidade da vítima à polícia e também indicado o local onde deixou o corpo - ele chegou a enterrar a vítima -, que foi encontrado carbonizado. De acordo com a decisão da Justiça, a mudança na prisão ocorre por "por falta de fundamento legal que justifique a sua necessidade" e também por conta do cenário de pandemia.

Apesar disso, a Justiça determinou medidas que o casal deve cumprir e disse que que os suspeitos responderão ao crime de homicídio e ocultação de cadáver. Entre elas, a apresentação mensal à Justiça para justificar as atividade e a proibição de manter contato com testemunhas e manter distância de pelo menos 500 metros.

Eles também não poderão sair da cidade até o final do processo e ficar em casa à noite e nos dias de folga. 

A CONFISSÃO 

Com a confissão do companheiro, a mulher também confirmou a participação no crime. Eles apontaram onde haviam enterrado o corpo carbonizado e indicaram o envolvimento de mais dois suspeitos que são procurados.

Segundo o Baep , equipes chegaram até o suspeito, que foi localizado no bairro São Judas Tadeu, após uma denúncia da receptação de um maquinário roubado, que teria sido subtraído de uma Fiorino. A equipe que investigava o desaparecimento do motorista suspeitou e interrogou o homem, que confessou ter matado a vítima.  

O QUE TERIA ACONTECIDO 

De acordo com a versão do casal, o motorista já era conhecido e era sempre chamado para fazer corridas para eles. Segundo a polícia, a ligação entre eles foi o que causou a suspeita da polícia.

Segundo o depoimento dos acusados, na última segunda-feira (29), o homem foi chamado para uma corrida particular. O motorista levou a mulher para a retirada de um dinheiro em um local Centro da cidade. Enquanto o motorista aguardava, a mulher teria tido tido um desentendimento com a pessoa que devia dinheiro, e o motorista interviu.

Ainda segundo a versão da acusada, o homem teria chegado a agredir ela após a discussão, e com isso ela avisou o marido. Ao chegar ao local final, o casal sequestrou o motorista, que foi agredido e levado para um terreno na região do Jardim Bandeirantes , onde foi morto e carbonizado. O carro da vítima foi encontrado queimado em uma estrada no bairro Jardim Novo Sol, próximo ao Cemitério Parque das Flores .

O caso foi registrado como homicídio e ocultação de cadáver no Plantão da 2ª Delegacia Seccional de Campinas. O casal já era investigado pelo homicídio após a polícia identificar uma ligação da mulher para vítima.

    Veja Também

      Mostrar mais