ACidade ON

Após o parto, Eduardo conseguiu levar o filho para o hospital.
Arquivo pessoal
Após o parto, Eduardo conseguiu levar o filho para o hospital.


No dia do aniversário de Campinas , hoje (14), um bebê nasceu na cidade pelas mãos do próprio pai dentro de casa. Matheus Eduardo Monteiro Canova de Freitas, como será chamado, nasceu com 48,5 centímetros e 3,3 quilos, e o parto foi feito de improviso , pelo pai, o confeiteiro Eduardo Canova de Freitas, dentro de casa. Matheus não esperou para chegar ao hospital e nasceu durante a madrugada, às 1h06, na própria casa, no Jardim Planalto de Viracopos.

A mãe, Rosemeire Monteiro de Araújo, de 33 anos, conta que foi uma das experiências mais emocionantes da vida. Com outros cinco filhos, todos de parto normal, Rosemeire diz que esperou até a última hora para ir ao hospital, mas quando percebeu, já tinha entrado em trabalho de parto. Ela acabou tendo o sexto filho na cama do caçula.

Leia também: Unidades da Fundação Casa têm 44 contaminados pelo novo coronavírus

"Eu sempre deixei para ir na última hora. Mas nunca foi a intenção e nunca imaginei que iria ter um bebê em casa, não deu tempo mesmo. Eu fui para o banheiro e comecei a ter uma contração muito forte. Quando coloquei a mão, vi que ele já estava saindo, quando eu fui para o quarto chamei o meu marido e disse que ia nascer", contou a mãe.   

Rosemeire foi auxiliada pelo marido durante parto feito em casa, no improviso.
Arquivo pessoal
Rosemeire foi auxiliada pelo marido durante parto feito em casa, no improviso.


Já o pai, que agora se auto intitulou "cirurgião-padeiro", como brincou, disse que já tinha feito curso de brigadista e tinha noções de como se fazia um parto. Mas nunca imaginou realizando um e do próprio filho. 

"Eu sou calmo mas ali foi adrenalina total. Acho que Deus me guiou. Eu peguei na cabeça e fui puxando, quando vi já tinha saído", declarou. A esposa, em tom de brincadeira disse que viu o marido "tremeu igual a um bambu". No momento do parto estavam na casa o casal e os filhos. 

Depois da experiência, o pai declara que se emocionou muito, e que vai ser uma história para contar para filho. "Foi emocionante demais. Jamais me imaginei dando a vida para alguém. Depois que peguei a mão dele, foi algo inexplicável. A gente nunca espera, vê como uma coisa muito distante de acontecer. Vai ser algo legal para contar quando crescer, falar que nasceu à moda antiga", declarou. 

O pai conta ainda que após o parto saiu pelas ruas procurando ajuda, quando se deparou com uma viatura e pediu o apoio do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). A ambulância chegou depois de cerca de 40 minutos, e levou mãe e filho para o Hospital da PUC-Campinas. O bebê nasceu saudável e agora aguarda alta para voltar para a casa. 

    Veja Também

      Mostrar mais