Polícia Federal fez operação contra o tráfico em Campinas (Foto ilustrativa).
Agência Brasil
Polícia Federal fez operação contra o tráfico em Campinas (Foto ilustrativa).


Uma operação no Ministério Público de São Paulo contra o tráfico de drogas resultou na prisão de dois suspeitos na manhã desta terça-feira (12) em Campinas. Os presos são acusados de realizarem lavagem de dinheiro em prol de uma facção criminosa.

Entre os detidos estão um homem e uma mulher, que estariam envolvidos no desvio que beneficiaria a facção de tráfico de drogas, que atua de dentro e fora de presídios.  

Leia também: Líderes religiosos protestam contra despejo de famílias do Mandela

A operação, nomeada de "Código de Ética", foi deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) de Caraguatatuba, e cumpriu 48 mandados de prisão e 64 de busca e apreensões no litoral e no interior.  

Em Campinas, além dos dois detidos foram expedidos mais um mandado de prisão, mas o suspeito ainda não foi localizado. Outros seis mandados de busca e apreensão também foram cumpridos na cidade, resultando na apreensão de R$ 25 mil reais em espécie, além computadores e cadernos de contabilidade, que seriam de uso para o crime.

Na cidade, a operação empenhou o apoio de 12 viaturas, 41 policiais e 3 cães de faro, tendo o apoio da Polícia Federal e do BAEP (Batalhão de Ações Especiais) de Campinas.

Mais cidades

Na região, houve ainda um mandado de busca e apreensão expedido e cumprido em Valinhos. Já o restante dos mandados foram cumpridos em Caraguatatuba, São Sebastião, Taubaté e Ubatuba.  

Segundo o Ministério Público, a operação foi batizada com o nome de "Código de Ética" por ter diversos advogados entre os denunciados. Em Campinas, no entanto, os presos não eram advogados. 

De acordo com o Gaeco, a ação teve origem após o MP analisar as prisões relacionadas ao tráfico no litoral, e chegar aos denunciados. Entre os presos no litoral, estão um vereador de Caraguatatuba, que é acusado de participar na organização criminosa.   

Os presos em Campinas foram encaminhados para a 1ª e 2ª Delegacia Seccional.

    Veja Também

      Mostrar mais