Carmino de Souza, secretário de Saúde de Campinas.
Carlos Bassan
Carmino de Souza, secretário de Saúde de Campinas.


O secretário de Saúde de Campinas, Carmino de Souza, exibiu nesta sexta-feira (14), durante entrevista coletiva, dados que indicam alta na taxa de transmissão do novo coronavírus na cidade. Após a manutenção de um índice abaixo de 1.0 durante três semanas de julho, a projeção de agosto é de uma taxa superior.

Quando esse número é de 1.0, significa que uma pessoa infectada transmite o vírus para, no máximo, uma pessoa. Abaixo disso, a quantidade de novos infectados passa a ser menor que a de pacientes recendo alta. Campinas chegou a ter alta de 1.8 na segunda quinzena de maio.

Leia também: Justiça revoga liminar que impedia missas e cultos em Campinas

“Em abril não tínhamos aparentemente muitos casos na cidade, mas a taxa de transmissão era alta. No mês de julho, a partir do dia 7, ficamos por várias semanas, pelo menos três, abaixo de 1 e isso significa que temos menos pessoas doentes entrando no sistema do que pessoas recuperadas”, explicou Carmino.

Alerta

Diante deste cenário, o secretário fez um alerta para a população. "Isso não é bom para a cidade. Nós precisamos cuidar da transmissão. As pessoas precisam continuar mantendo o distanciamento social para que a gente não tenha uma elevação e um aumento de contágio", alertou.

Campinas está na fase amarela do Plano São Paulo desde o último sábado (7), quando foi publicado o decreto que regulariza a nova classificação. Com isso, bares, restaurantes, academias e salões de beleza voltaram a abrir. A partir deste sábado, será iniciada a reabertura dos parques da cidade.

    Veja Também

      Mostrar mais