ACidade ON

Campinas tem 75% de ocupação em leitos de UTI Covid.
Divulgação/Unicamp
Campinas tem 75% de ocupação em leitos de UTI Covid.


A Prefeitura de Campinas anunciou nesta segunda-feira (24) que estuda a possibilidade de reduzir o número de leitos exclusivos para pacientes graves do novo coronavírus após a gradual melhora nos índices da epidemia na cidade e a pressão máxima nos outros leitos na rede pública. Hoje, por exemplo, Campinas não anunciou novos registros de óbitos pela covid-19. Essa situação também ocorreu no dia 15 de agosto.

Além disso, há diminuição do número de casos (segundo a média móvel), de acordo com o secretário de Saúde Carmino de Souza. Além disso, a taxa de ocupação dos leitos exclusivos para covid-19 tem se mantido estável ou sofrido reduções nas últimas duas semanas.

Com esse panorama, a Administração estuda um "ajuste" nos leitos covid-19 e não covid-19. Hoje, Campinas tem 154 leitos complexos sob gestão municipal para o coronavírus e 56 para pacientes graves de outras enfermidades.

Leia também: Comércio de Campinas registra alta de 15,8% durante fase amarela

"Precisamos voltar ao platô original de 90 (leitos de UTI). As causas de utilização de UTI por não covid são as mais diversas possíveis. Acidentes vasculares, cerebrais, infartos, acidentes, cirurgias de grande porte e assim por diante. A ocupação destes leitos é total hoje (de não covid)", disse.

Carmino afirmou ainda que o atendimento tem sido feito e que não há desassistência. "Mas, há uma necessidade nas próximas semana de fazer uma reformatação nas próximas semanas de modo a acomodar essa necessidade de leitos não covid", disse.

Em relação aos leitos de enfermaria em geral, o secretário afirmou que não há preocupação pois pode-se fazer uma adaptação quando necessário. "Temos muitos leitos contratados junto a nossos parceiros", afirmou em live oficial transmitida pelo Facebook.

DEBATE

Ainda sobre o caso, o prefeito Jonas Donizette (PSB) afirmou que este é um debate da FNP (Frente Nacional de Prefeitos) com o Ministério da Saúde, devido ao momento de transição em que muitas cidades do Brasil vivem em relação ao novo coronavírus.

"Se ocuparmos todos os leitos de covid, temos que voltar à fase vermelha e paralisar a nossa economia. Então, temos que fazer esse ajuste, talvez uma diminuição de percentual, de acordo com o que os números permitirem, para ampliar os leitos de não covid".

Ele afirmou ainda da situação vivida em junho por Campinas, quando o SUS municipal chegou a bater 100% de ocupação de coronavírus. Na época, foram contratados mais leitos para solucionar a questão. Hoje, Campinas tem 956 óbitos pela covid-19 e 26.203 casos confirmados.

OCUPAÇÃO

Com a diminuição de dois leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) que eram exclusivos para o novo coronavírus sob gestão estadual, a taxa de ocupação em Campinas subiu nesta segunda-feira (24). Segundo a Prefeitura de Campinas, a taxa hoje é de 75,33%. No sábado, era de 71,8%. No domingo não houve divulgação.

Agora, Campinas tem 381 leitos de UTI exclusivos para pacientes com covid-19 nas redes pública e particular. Deste total, 287 estão ocupados, o que corresponde a 75,33%. Há 94 leitos livres somando as redes pública e particular.

    Veja Também

      Mostrar mais