Francisco Rodarte foi cabo da Força Expedicionária Brasileira.
Divulgação
Francisco Rodarte foi cabo da Força Expedicionária Brasileira.


Morreu na última segunda-feira (28), aos 98 anos, o pracinha Francisco de Assis Rodarte , o penúltimo representante da Força Expedicionária Brasileira (FEB) em Campinas que seguia vivo, de acordo com a Associação Nacional dos Veteranos da FEB. O velório ocorreu na terça-feira (29), no Círculo Militar de Campinas.

Viúvo de Marta Portela Rodarte, Rodarte deixa três filhos. Ele nasceu em Formiga (MG), no dia 4 de outubro de 1922, mas mora em Campinas desde que deixou a carreira militar e passou a trabalhar como banqueiro.

Leia também: Veja como ajudar famílias vítimas de incêndio na Vila Paula

Francisco Assis Rodarte estava entre os 25 mil brasileiros da Força Expedicionária enviados à Itália em julho de 1944, durante a Segunda Guerra Mundial . Cabo escrevente da Companhia de Comando do Regimento de São João Del Rei, ele tinha funções como alterações dos regimentos, boletins oficiais, ordem do dia e alterações da tropa.

Momentos

Ao comunicar a morte em nota pelas redes sociais, a Associação dos Expedicionários Campineiros lembrou que Rodarte chorou ao ter que datilografar a lista de mortos da batalha contra nazistas na cidade de Montese, em abril de 1945. O combate deixou cerca de 400 baixas na Divisão Brasileira, entre mortos, feridos, prisioneiros e desaparecidos.

Rodarte também seria o encarregado de datilografar o diário de Frei Orlando, que se voluntariou para acompanhar a FEB como capelão militar e morreu vítima de um tiro acidental disparado por um membro da Resistência Italiana.

    Veja Também

      Mostrar mais