ACidade ON

Acidentes caem 20% nas rodovias que cortam Campinas
Reprodução: ACidade ON
Acidentes caem 20% nas rodovias que cortam Campinas

Os acidentes nas rodovias que cortam Campinas caíram 20,4% neste ano comparação com o ano passado, segundo um levantamento realizado pelo Infosiga-SP (Sistema de Informações de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo).

De acordo com o governo do Estado, entre janeiro e e setembro deste 2019, as rodovias que cortam Campinas registraram 896 acidentes. Enquanto isso, neste ano no mesmo período foram 713.


No entanto, apesar deste ano ter registrado menos acidentes, houve mais mortes. Segundo o os dados, foram 54 no ano passado, contra 57 nos nove primeiros meses de 2020- demonstrando um aumento de 5%.

Você viu?

De acordo com os dados, a Rodovia D. Pedro I (SP-065) e a Rodovia dos Bandeirantes (SP-348) foram as mais perigosas, com registro de 12 mortes cada uma. No mesmo período do ano passado, a Rodovia D. Pedro teve 7 mortes em acidentes, enquanto na Bandeirantes foram 8.

A Rodovia Santos Dummont (SP-075) permaneceu com o mesmo número de mortes, sendo 10 no ano passado e 10 neste ano. Já a Rodovia Anhanguera (SP-330) teve ao todo sete ocorrências fatais, com uma redução significativa em comparação com o último ano, quando no mesmo período foram registrados 20 acidentes com óbitos.

AS RODOVIAS

A Autoban, concessionária responsável por administrar o sistema Anhanguera-Bandeirantes, informou que a concessionária destaca que há diferença de metodologia na contabilização de vítimas nas rodovias em relação ao Infosiga.

"Enquanto a concessionária registra apenas os óbitos que ocorreram de fato na rodovia, o Infosiga leva em consideração o estado de saúde das vítimas nos hospitais. Pode acontecer, por exemplo, de uma vítima ser removida como grave pelo resgate da concessionária e vir a óbito no hospital. Para os registros da concessionária, não constará o óbito".

Mesmo assim, na nota enviada a pela concessionária o cenário não é diferente, entre casos e mortes, apesar dos números serem diferentes. "Em relação à Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), a concessionária registrou, em 2019, de janeiro a setembro, 353 acidentes e 6 vítimas fatais. No mesmo período deste ano, foram 238 acidentes (redução de 33%) e 10 vítimas fatais".

"Vale ressaltar que as rodovias do Sistema Anhanguera-Bandeirantes atendem aos requisitos de segurança viária previstos nas normas e legislações rodoviárias, bem como o contrato de concessão assinado com o Poder Concedente. Além disso, CCR Autoban, em parceria com o policiamento rodoviário e ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), realiza diversas campanhas de segurança ao dirigir, com o intuito de ressaltar a importância da adoção do comportamento seguro".

NA D. PEDRO

Já a Rota das Bandeiras, concessionária que administra o Corredor D. Pedro, informou que há uma divergência em relação aos registros apresentados pelo Infosiga, mas também identifica alta nos casos com mortes.

"A Concessionária Rota das Bandeiras registrou 11 mortes no trecho de Campinas da rodovia D. Pedro I (SP-065) no período de janeiro a setembro deste ano, além de uma fatalidade no anel viário Magalhães Teixeira (SP-083). No mesmo período do ano passado, foram seis ocorrências na D. Pedro I", informa, em nota.

Segundo a concessionária, um dos motivos para maior gravidade dos acidentes, mesmo com o menor fluxo no ano, é a imprudência de alguns motoristas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários