ACidade ON

Campinas terá Museu da Paz e Centro de Memória da Cultura Afro-brasileira
Reprodução: ACidade ON
Campinas terá Museu da Paz e Centro de Memória da Cultura Afro-brasileira

O Museu da Paz e o Centro de Educação, Memória, Estudos e Cultura Afro-brasileira foram formalmente criados nesta quarta-feira (11) com a sanção da lei de criação dos dois equipamentos em Campinas . O anúncio foi feito prefeito Jonas Donizette (PSB) em live oficial nas redes sociais.

Os equipamentos, vinculados à Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos vão funcionar no casarão do Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim, antiga casa sede da Fazenda Mato Dentro. O acervo será constituído de bens materiais (objetos, documentos fotografias, imóvel e entorno construído); e bens imateriais (tradições, patrimônio intelectual e emocional).

Você viu?



A secretária da Pasta, Eliane Jocelaine Pereira, lembrou toda a simbologia do local que sediará o Museu. "Campinas tem um passado escravocrata muito grande, onde as penas para os negros eram muito rigorosas. E a fazenda Mato Dentro foi uma das que concentrou o maior número de negros escravizados. O simbolismo de trabalhar a reversão desse passado se reveste na necessidade de cunhar nesse local um espaço de conhecimento da história afro-brasileira, mas principalmente para que a população possa conhecer e reverter essa história e trabalhar pela quebra de grilhões que ainda carregamos em relação ao racismo", expôs.

O objetivo do Museu da Paz e do Centro de Memória é garantir a preservação do patrimônio cultural do povo negro, por meio da coleta, organização e disponibilização pública de referenciais materiais e imateriais. Além de contribuir, a partir das relações étnico-raciais da história do povo negro, para o enfrentamento ao racismo estrutural e difusão da Cultura de Paz e dos Direitos Humanos.

PRÓXIMO PASSO

Para receber o Museu, o casarão terá que ser restaurado. Esse processo está sendo feito pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos. Conforme o secretário da pasta, Ernesto Paulella, o processo de contratação da empresa que desenvolverá o projeto executivo de restauro está em fase final para licitação na Secretaria de Administração.

Em relação à política de produção e aquisição de acervos para o Centro de Memória, a secretária Eliane Jocelaine informou que as atividades tiveram início com a contratação de profissionais, que está sendo feita diretamente pela Unesco, para realização de um inventário dos lugares de memória da população negra em Campinas.

"O acervo será produzido por meio de parceria entre Prefeitura e Unesco com recursos destinados pelo Ministério Público de São Paulo referentes a Termo de Ajustamento de Conduta (TAC)", detalhou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários