ACidade ON

Contratar médicos será prioridade, afirma Dário
Reprodução: ACidade ON
Contratar médicos será prioridade, afirma Dário

O prefeito eleito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), disse na manhã desta segunda-feira (30) que a contratação de novos médicos será uma das prioridades da nova administração.

Em entrevista ao ACidade ON , o prefeito eleito abordou alguns dos desafios que aguardam a próxima administração campineira. Dário Saadi foi eleito na noite desse domingo (29) com 57% dos votos válidos - 222.030 votos. Rafa Zimbaldi (PL), seu adversário, terminou o segundo turno com 166.995 votos - um percentual de 42%.


O desempenho de Dário Saadi na campanha foi surpreendente. Coadjuvante no governo do prefeito Jonas Donizette (PSB), o ex-secretário de Esportes apareceu com apenas 6% das intenções de voto na primeira pesquisa do Ibope, no dia 5 de outubro, na sexta colocação.   


SAÚDE  

Em entrevista na manhã desta segunda, Dário explicou que a prioridade já nos primeiros dias de governo será a saúde.  

O prefeito eleito não definiu datas, mas explicou que a contratação de novos médicos passará a ser trabalhada já no início do governo por meio de concursos e da ampliação do programa Mais Médicos Campineiro.  

O Mais Médicos Campineiro foi inaugurado em março deste ano com a contratação de 42 profissionais para o programa de residência. Dário pretende dobrar esse número com mais 40 novos profissionais formados.  

Dário também foi questionado em relação à pandemia de novo coronavírus, se ele seria a favor ou contra um lockdown e como vai lidar com novas restrições.

"Quem define as restrições é o Governo do Estado de São Paulo, conforme foi determinado pelo STF (Superior Tribunal Federal). Nós teremos um diálogo com o Governo do Estado para ver se o município de Campinas pode assumir essa responsabilidade de fechamentos, mas até o presente momento as definicões foram feitas pelo governador João Dória".  

Você viu?

Em relação às máscara de proteção, Dário foi questionado se as multas e fiscalizações aplicadas pelo prefeito Jonas Donizette foram suficientes.  

De acordo com o último balanço, apenas 325 multas de R$ 100 foram aplicadas na cidade desde agosto, quando passou a valer a regra.  

"Acho que nós devemos, antes de pensar em multar, antes de pensar numa questão punitiva, continuar na conscientização da população", disse. "A população tem usado máscara. Tem locais e situações que não usa, mas acredito que temos que continuar trabalhando na conscientização".   

Dário Saadi durante a campanha eleitoral.
Divulgação
Dário Saadi durante a campanha eleitoral.


CÂMARA  

Dário também foi questionado quanto ao orçamento de 2021 para Campinas. Os vereadores da cidade aprovaram no dia 19 de novembro, em 1º discussão, o PL (Projeto de Lei) da LOA (Lei Orçamentária Anual) para o ano que vem.  O atual projeto prevê R$ 6,4 bilhões para o orçamento de 2021 (um valor 4,7% maior que de 2020).  

"Eu gostaria de ter um orçamento três vezes maior que isso", brincou. "Mas este orçamento aprovado é o orçamento possível, é o orçamento real da cidade e é dentro dele que nós vamos trabalhar", disse. "Se preciso for, faremos remanejamentos de adaptação orçamentária de uma secretaria para outra."  

Em relação aos vereadores eleitos, Dário afirma que o diálogo será sua principal estratégia para angariar apoiadores.  

"Conversar com os vereadores que foram eleitos, entender as propostas que eles apresentam, a maneira de trabalho no legislativo e tentar conquistar a confiança desses vereadores através do diálogo", disse.  

Mas ele não acredita que esta será uma batalha fácil. "Espero uma oposição aguerrida. O clima político dos últimos anos tem sido muito agudo, muito quente, então nós não vamos ter, na minha opinião, uma oposição muito tranquila", afirmou.

COMISSIONADOS  

Por último, o ACidade ON perguntou a Dário Saadi sobre os 1.523 cargos de comissão na Prefeitura de Campinas e da Rede Mário Gatti.  Em outubro, um conjunto de desembargadores do MP (Ministério Público) avaliou que tais cargos seriam inconstitucionais. 

De acordo com o Ministério, as funções questionadas na ação direta de inconstitucionalidade ajuizada contra a Câmara e o município de Campinas são ocupadas por servidores comissionados, mas apresentam atribuições técnicas, burocráticas e operacionais. Assim, deveriam ser preenchidas por pessoas aprovadas em concurso público.  

"Esses comissionados não são todos de livre provimento. Destes mais de 1.500 cargos, dois terços deles são cargos especificos de servidores públicos, não são cargos que se pode contratar por fora, e E um um terço destes cargos, cerca de 500 deles, são cargos de livre provimento", explicou. "Mas mesmo assim, nós vamos encaminhar uma nova lei que reduzirá este número [de comissionados], reduzindo principalmente o volume de recursos para essa finalidade".  

Dário conclui, dizendo que esta nova lei será apresentada com urgência na Câmara. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários