ACidade ON

Sanasa não vai reajustar tarifa de água.
Reprodução: ACidade ON
Sanasa não vai reajustar tarifa de água.


O atual prefeito de Campinas , Jonas Donizette (PSB) informou durante a manhã de hoje (3) o reajuste zero para as tarifas de água no ano que vem.  

Segundo Jonas, a medida foi decidida junto com a Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento), visando não aumentar o valor da conta do consumidor no próximo ano.  

"É uma boa notícia, nós estamos dando reajuste zero para o ano que vem, ou seja ,não haverá aumento na conta de água. A Sanasa já presta um bom serviço com tratamento de água, tivemos atenção especial durante a pandemia e como sabemos que 2021 vai ser um ano difícil para todo mundo ainda, o reajuste será zero, tanto pra residências como para comercio e para indústria", afirmou o prefeito.  

No ano passado a Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento) reajustou a tarifa em 2,54% mais caro - medida que passou a vigorar a partir de fevereiro desse ano. 


Você viu?

Atualmente, o preço da tarifa mínima (consumo até 10 m³) por mês é de R$ 36,34 - o valor não inclui o tratamento de esgoto. Para as demais faixas de consumo são atribuídos valores diferenciados e os descontos correspondentes.  

Na categoria comercial, o valor da tarifa de água tratada de consumo mínimo é de R$ 74,85. Já categoria industrial o preço é de R$ 68.32. 

O valor da tarifa em Campinas chegou a ser alvo de apontamentos por candidatos a prefeitura durante a eleição desse ano, que citaram o valor como um dos mais altos do país.  

Por causa da pandemia, neste ano a Sanasa decidiu por isentar a cobrança da tarifa de água para a população de baixa renda que consome até 10 metros cúbicos de água em Campinas, a medida, foi tomada em março valendo desde abril, e se aplica até esse mês de dezembro.  

Também por causa da pandemia, a Prefeitura tinha cedido por fazer a cobrança do consumo pela média do consumido do ano passado. A medida foi tomada, em março, no início da pandemia, para ajudar os consumidores a enfrentarem a quarentena - por ficaram mais em casa, em tese, eles consumiriam mais água.  

A medida vigorou nos meses de abril, maio, junho, julho e agosto, sendo que a empresa retomou no dia 31 de agosto a leitura do consumo de água em residências e setores comerciais que tiveram a medida imposta 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários