ACidade ON

Fiscais trabalham nas ruas de Campinas.
Carlos Bassan
Fiscais trabalham nas ruas de Campinas.

Quatro estabelecimentos foram  autuados , entre essa quinta (10) e sexta-feira (11), por descrumprir as regras sanitárias de combate à pandemia de novo coronavírus.  A multa para descumprimento das regras é de R$1.446,44 e, em caso de reincidência, ela dobra. 

A ação, que inspecionou um total de 38 estabelecimentos, foi de responsabilidade da Vigilância Sanitária, do Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde), da Secretaria Municipal de Saúde de Campinas, em conjunto a Secretaria de Estado da Saúde. 


Entre as regras descumpridas flagradas pelos departamento, estão a permissão de uso de brinquedo coletivo, aglomeração de pessoas, evento com música alta, público em pé e sem máscara.

As ações de inspeção ocorreram na última quinta e sexta no Jardim Guanabara, Taquaral e no Parque D. Pedro Shopping. Foram inspecionados estabelecimentos de diversos segmentos como bares, restaurantes, padarias, lojas diversas, supermercados, distribuidora de bebidas, farmácias, parques de diversão, casa noturna e comércio em geral. 

Nas ações, foram reforçadas as orientações a todos os estabelecimentos fiscalizados para a importância de adotar e seguir as medidas sanitárias para prevenção e combate à Covid-19. O período é de intensificação dos cuidados, visto que todas as cidades do estado de São Paulo foram reclassificadas na Fase Amarela do Plano São Paulo.  

A população pode colaborar e denunciar locais que estiverem descumprindo as regras sanitárias por meio do telefone 156  da Prefeitura de Campinas.

FASE AMARELA

Campinas voltou para a fase amarela da quarentena de combate ao coronavírus no dia 2 de dezembro, conforme foi determinado pelo Governo do Estado de São Paulo. O DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas regrediu, assim como todas as regiões do Estado em 30 de novembro, um dia após as eleições municipais.  

Você viu?

Desde outubro a região de Campinas estava na fase verde do Plano São Paulo, com comércios e serviços autorizados a funcionar com a capacidade de ocupação autorizada em até 60% e autorização para o funcionamento dos estabelecimentos em até 12h diárias. Antes disso, a cidade ficou por mais de dois meses na fase amarela.  

Com a mudança todos os setores devem limitar o público em 40% da ocupação e os estabelecimentos voltam a ter o funcionamento limitado de no máximo 10h por dia. Além disso, deve-se respeitar também distanciamento social de pelo menos 1,5 metro.

Apesar das limitações, salões, academias, teatros, cinemas e parques continuam funcionando, seguindo as mesmas regras - anteriormente, estes setores não podiam funcionar durante a fase amarela da quarentena. O retrocesso também não altera o cronograma de volta às aulas, permitindo que as escolas continuem abertas. 

FLAGRANTE 

Prefeitura ressalta que regras também valem para clínicas de saúde (Foto: Mary Discini/Imagem do leitor)

As medidas de combate à pandemia valem não só para comércios e restaurantes, mas também para clínicas de saúde. No início deste mês, no dia 4 de dezembro, uma clínica médica foi flagrada com a recepção lotada de pessoas, desrespeitando a fase amarela da quarentena de combate ao coronavírus.  

As imagens do flagrante foram enviadas para o Instagram do ACidade ON pela promotora de eventos Mary Discini. Nas imagens, é possível ver todas as cadeiras da sala de espera ocupadas e com pessoas em pé, aguardando atendimento - esse tipo de lotação é proibida durante a fase amarela pois pode proliferar a doença que ainda não tem cura ou tratamento indicado.

Segundo Mary, ela esteve na clínica Coração Med durante a manhã para fazer um exame admissional e se surpreendeu com a quantidade de pessoas na sala de espera, entre eles idosos, segundo o relato. "Estava extremamente lotado e sem distanciamento", disse. A promotora esperou por mais de uma hora pelo atendimento dentro da sala lotada.  

Em nota, a empresa explicou que os atendimentos na clínica são feitos por ordem de chegada e que parte da população não tinha conhecimento do retorno da fase amarela, visto que ela havia voltado apenas dois dias antes desta denúncia. 

A empresa explicou ainda que esteve com muitos pacientes na data pois a guia para atendimento foi recebida pelos trabalhadorres antes do comunicado da restrição. "Sempre foi a nossa conduta de respeito as normas de prevenção e para tanto providenciamos diversas melhorais para evitar qualquer tipo de contaminação", disse em nota. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários