Restaurantes não podem receber clientes na fase vermelha.
Divulgação/Abrasel
Restaurantes não podem receber clientes na fase vermelha.


A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes da Região Metropolitana de Campinas ( Abrasel RMC ) encaminhou, nesta segunda-feira (28), um ofício ao prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), para solicitar que a métropole não adote a fase vermelha do Plano São Paulo  no Ano Novo.

Conforme establecido pelo Governo do Estado, Jonas publicou, na semana passada, o decreto que coloca Campinas na fase vermelha durante o Natal e o Ano Novo. Depois do endurecimento do dia 25 ao 27, a cidade retornou à fase amarela nesta segunda-feira (28), mas o decreto determina nova regressão de fase do dia 1º a 3 de janeiro.

Na fase vermelha, bares e restaurantes só podem funcionar no formato drive-thru ou realizando entregas. Segundo a Abrasel, a impossibilidade de receber clientes durante o fim de ano, época em que há grande movimentação nos estabelecimentos, é sinônimo de um grande prejuízo para o setor.

“Esta última restrição do Governo do Estado, aceita e seguida pela cidade de Campinas, foi a gota d'água para os comerciantes, que estão desesperados e não aguentam mais seguir esses decretos, que são desproporcionalmente punitivos ao setor de Bares e Restaurantes”, diz um trecho do ofício.

Você viu?

Cidades contra o decreto

O texto ainda cita cidades paulistas que foram contra o decreto estadual do governador João Doria, e pede que Jonas Donizette siga o exemplo. Os municípios citados são Águas de São Pedro, Socorro, Caraguatatuba, São Sebastião, Bauru, Itupeva, Santos, Praia Grande, São Vicente, Mirandópolis, Franca, Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Lindoia, Cotia e Barretos.

“Diante desse quadro dramático e da posição de outros prefeitos, a Abrasel RMC pede para que o prefeito Jonas Donizette tome um posicionamento a favor do comércio de Campinas, voltando nossa cidade para a Fase Amarela, em prol dos munícipes, empresários, pagadores de impostos. Para que possa minimizar os impactos negativos como milhares de empregos e empresas à beira da falência”, diz o documento.


A Abrasel também pontuou que, diante da proibição de abrir durante o Natal, muitos estabelecimentos tiveram problemas logísticos.  “Bares e restaurantes haviam se programado com compra de estoque e de um dia para outro, sem qualquer antecedência, teve que cancelar tudo, arcando com enormes prejuízos, produtos estocados e dívidas com fornecedores”, justifica Matheus Mason, Presidente da Abrasel RMC.

Mortes

Campinas chegou hoje ao total de 1.448 mortes por Covid-19, após o registro de seis novas vítimas fatais da doença. Até agoram 49.237 pessoas foram contaminadas, mas 47.55 já estão recuperadas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários