ACidade ON

Centro de Campinas costuma ter bastante movimento.
Carlos Bassan / Pref. de Campinas
Centro de Campinas costuma ter bastante movimento.


A região central de Campinas voltou a concentrar os maiores números de casos de Covid-19 . O aumento de infectados na região central da cidade foi informado pelo secretário de Saúde , Carmino de Souza , durante transmissão nas redes sociais nesta quarta-feira (30). No anúncio também foram atualizados os números da doença na cidade.

"Nós voltamos naquele perfil inicial da epidemia, de maior concentração de casos no Centro da cidade, no Cambuí e Taquaral. Então, os bairros mais centrais estão tendo números maiores de casos do que bairros mais distantes. Não sabemos como isso ainda vai se comportar" disse Carmino. 

No começo da pandemia, os primeiros casos de covid-19 foram registrados na região central, que teve durante os primeiros meses, a concentração maior de caso. No entanto, após a disseminação da doença, os casos passaram a migrar para a região mais periférica da cidade, com a maioria de casos em bairros da região Noroeste e Sudoeste, onde estão os distritos do Campo Grande e Ouro Verde, respectivamente. 

Você viu?

Segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje, analisando a taxa de incidência por 100 mil habitantes, em novembro a região Leste (onde se encontram os bairros centrais) teve o maior número de casos na cidade - com índice de 666,3 por 100 mil. Em comparação, a região teve no mês anterior a taxa em 306,3 por 100 mil. 


Ainda segundo o secretário de Saúde, a mudança nos casos pode ser explicada pelo aumento de eventos e concentração de jovens na região central, que se reúnem mesmo com a proibição de aglomerações. 

"No começo era dos viajantes, e agora nós estamos acreditando que se deve ao comportamento da própria sociedade. Das aglomerações, bares, casas noturnas como grandes elos de transmissão. Sabemos que a região central concentra esses serviços", afirmou.  

Ao contrário do início da pandemia, em que nessas regiões eram vistos mais casos em idosos, o secretário afirmou que os doentes em Campinas, agora são os mais jovens. 

"Dos doentes em Campinas, 40% tem menos de 40 anos. Vemos os jovens se infectando mais, transmitindo mais. Eu acho que a sociedade abusou e estamos pagando o preço, sendo que avisamos lá atrás", afirmou. 

Segundo o boletim divulgado hoje, Campinas ultrapassou os 50 mil casos de covid-19, e chega a quase 1,5 mil vítimas fatais. Por conta do aumento de casos, hoje o prefeito anunciou a ampliação de 10 novos leitos e citou ainda um novo pedido de ajuda ao Estado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários