ACidade ON

Justiça aceita denúncia contra padrasto por estuprar e matar menina de 5 anos
Reprodução: ACidade ON
Justiça aceita denúncia contra padrasto por estuprar e matar menina de 5 anos

Você viu?

A Justiça de Hortolândia aceitou a denúncia do MP-SP (Ministério Público do Estado de São Paulo) contra contra Cássio Martins Camilo, acusado de estuprar e matar Maria Clara Calixto Nascimento, de 5 anos, no final do ano passado. 

O MP-SP acusou Cássio pelos crimes de estupro de vulnerável, homicídio qualificado e ocultação de cadáver. O crime provocou revolta em moradores da cidade e, de acordo com a Polícia Civil, o acusado confessou todas as ações após ser preso.

De acordo com o MP-SP, o crime foi praticado com emprego de meio cruel, uma vez que o acusado espancou a criança antes de matá-la, deixando-a inconsciente e tapou a boca da vítima com uma fita adesiva. Além disso, houve asfixia, pois o denunciado teria esganado a menina até que ela morresse.

A reportagem não conseguiu contato com o advogado do acusado.



O CASO

A mãe contou que voltou para casa do trabalho no dia 17 de dezembro, na hora do almoço e não encontrou a menina. O homem, que estava em casa, ficou responsável por cuidar da criança. Questionado, o companheiro teria dito que Maria Clara estava na casa de uma vizinha brincando. A mãe foi buscar a menina e a vizinha disse que Maria Clara não estava no local.

Além de um boletim de ocorrência, a família e vizinhos passaram a fazer buscas para encontrar Maria Clara, inclusive divulgaram em redes sociais a foto da menina. A mãe contou também que ela e o companheiro prestaram depoimento. A noite, o homem acabou indo para casa de parentes em Monte Mor, já que começava uma suspeita de que ele estaria envolvido no desaparecimento da menina. A mãe e vizinhos continuaram a busca durante toda a noite pela região do bairro Vila Real onde ela morava.

As buscas foram reiniciadas no dia seguinte e a menina foi encontrada morta, enrolada em saco plástico e dentro de uma caixa de papelão em um terreno baldio próximo ao local onde morava. Uma pessoa viu e chamou a família. A mãe encontrou a criança e, desesperada, ainda tentou levá-la a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) no Jardim Nova Hortolândia, mas Maria Clara já estava morta.

Segundo a Prefeitura, a menina já chegou sem vida ao local, e o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Americana.

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários