Centenário de Zé Keti será em setembro.
Arquivo pessoal
Centenário de Zé Keti será em setembro.


O cantor e compositor Zé Keti , que faria 100 anos no próximo dia 16 de setembro, recebeu uma homenagem da Orquestra Sinfônica de Campinas nesta terça-feira (16) de Carnaval sem festas nas ruas. Em vídeo publicado no canal do Y outube Cultura Abraça Campinas , os músicos comandados pelo maestro Victor Hugo Toro executam o clássico "Máscara Negra" , com Dudu Nobre no vocal. A Orquestra Anelo e Escolas de Samba da cidade também participaram.

“A música de Zé Keti ultrapassa os limites do tempo e representa um dos marcos de excelência da música popular. Nada mais apropriado que uma iniciativa como essa no ano do centenário do nascimento desse grande compositor”, afirmou a secretária de Cultura, Sandra Ciocci.

Composta em 1967, em parceira com Hildebrando Pereira Matos, a canção escolhida é um dos maiores sucessos de Zé Keti e já foi gravada por nomes como Dalva de Oliveira, Elza Soares e Jair Rodrigues. A importância de “Máscara Negra”, entretanto, vai além das vozes que a interpretaram, pois o seu maior êxito é ter tomado as ruas, principalmente nos Carnavais, tanto que até hoje está na ponta da língua dos foliões.

A música, classificada como uma marcha rancho, venceu o Primeiro Concurso de Músicas para Carnaval, criado pelo Conselho Superior de MPB do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro.

“Cantar Zé Keti, que é um dos grandes nomes do samba e da música popular brasileira, é uma satisfação enorme. Fico feliz de participar de um projeto tão agregador como esse, tão necessário também nesse momento de pandemia. Tive o prazer de conhecer Zé Keti e fiquei muito honrado com tudo isso”, disse Dudu Nobre.

Naipe de cordas da Sinfônica de Campinas durante gravação de homenagem a Zé Keti.
Divulgação/Prefeitura de Campinas
Naipe de cordas da Sinfônica de Campinas durante gravação de homenagem a Zé Keti.


Já o maestro Victor Hugo Toro, que vai se despedir da Orquestra neste ano, após 10 anos, brincou com a experiência de reger um samba. “Um chileno regendo samba foi uma grata surpresa em minha carreira profissional”, comentou.

Você viu?

O arranjo da interpretação campineira de “Máscara Negra” é de autoria de Tiago Pallone, formado em Música Popular pela Unicamp. Já o cenário da produção foi a obra “Viva a Música”, do artista plástico Rogério Pedro.

As escolas de samba que aparecem no vídeo são: Majestade do Samba, Unidos de Vila Rica, Império do São Fernando, Estrela D´Alva, Ponte Preta Amor Maior, Unidos do Shangai, Rosa de Prata, Acadêmicos dos Amarais, Renascença, Leões da Vila Padre Anchieta e Serponte. Todas elas são representadas pela Liesca - Liga Independente das Escolas de Samba de Campinas.

“Foi uma sensação única. Fizemos o nosso melhor e creio que quem assistir vai gostar do trabalho", afirmou o mestre de bateria Michel Henrique de Morais Furtado.

VEJA O VÍDEO:


SUCESSOS DE ZÉ KETI

Nascido em 1921, no Rio de Janeiro, José Flores de Jesus, apelidado como Zé Keti, chegou a trabalhar como pedreiro e feirante, entre outros ofícios. Além do sucesso carnavalesco com “Máscara Negra”, ele é o autor de obras como “Opinião”, canção de protesto famosa na voz de Nara Leão, e a “A Voz do Morro”.


Outra música marcante da carreira de Zé Keti é “Diz que fui por aí”, que também foi cantada por Nara Leão e por ele mesmo, além de ter ganhado interpretações mais recentes de artistas como Luiz Melodia, Seu Jorge e Zeca Pagodinho.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários