Ônibus durante higienização contra a covid-19 em Campinas.
Divulgação/Emdec
Ônibus durante higienização contra a covid-19 em Campinas.

Uma motorista de ônibus de 36 anos, que estava grávida, morreu de covid-19 em Campinas . A vítima faleceu no dia 13 de abril e, segundo a Transurc (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas), ela estava de férias desde o dia 15 de março. Este é o primeiro caso de óbito de motorista na cidade desde o início da pandemia.

A Associação informou também que ela voltaria ao trabalho ontem e, em seguida, entraria em licença gestante. O marido dela também é motorista e fez o teste para a covid. O resultado dele, no entanto, foi negativo.

Você viu?

Desde o início da pandemia até hoje, a Transurc registrou 84 casos de covid-19 entre trabalhadores das concessionárias. O número não abrange os permissionários e cooperativas do transporte coletiva. A empresa disse também que desse total, como muitos estavam trabalhando em escala de 15 dias, não se sabe se a contaminação ocorreu em convívio familiar ou com amigos ou se as pessoas estavam trabalhando, dentro dos ônibus.


Sobre a situação, a Transurc informou que tem feito de forma regular a higienização dos veículos do transporte, na qual é utilizada inclusive produtos empregados em limpeza hospitalares. "Esse trabalho, pelos números que temos, até o momento tem se mostrado eficaz. E, até hoje, não tivemos nenhuma morte entre funcionários que estão trabalhando", disse em nota.

Em Campinas, a cidade tem, segundo o último balanço epidemiológico, 2.735 óbitos confirmados de coronavírus e 86.593 moradores foram infectados com a doença desde março de 2020.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários