Homem foi preso após incendiar carros em Campinas 'em nome de Deus'.
Reprodução
Homem foi preso após incendiar carros em Campinas 'em nome de Deus'.

O h omem que incendiou quatro carros estacionados em vias de Campinas na madrugada desta quinta-feira (17) é advogado, com registro em Santa Bárbara d'Oeste. Wanderley Francisco Paradella está preso em Valinhos e deve ser encaminhado ao 2º DP (Distrito Policial) de Campinas, no bairro São Bernardo. Um dos veículos queimados não tinha seguro e deixou a vítima com prejuízo (leia mais abaixo).

Segundo a polícia, o homem ateou fogo em dois carros que estavam estacionados na Avenida Princesa d' Oeste, no Jardim Proença. Um deles, um Gol, estava estacionado em frente ao supermercado Pão de Açúcar que fica na avenida. O outro veículo, um Uno, estava estacionado em um ponto mais a frente da via (veja vídeo abaixo).

Depois ele seguiu até outros bairros e ateou fogo em outros dois carros, um no Jardim Santa Eudóxia e outro que estava estacionado na Rua da Abolição, no bairro Ponte Preta. Além dos carros incendiados o homem ainda chegou a danificar um outro veículo que teve o vidro quebrado com uma pedra.

A porteira de um edifício da Rua da Abolição de um dos carros incendiados chegou a sair na rua para entender a situação "Um carro que não consegui identificar parou na esquina e já de imediato botou fogo. Foi muito rápido. Foi pegando foto por baixo do pneu. E eu não tive como fazer nada", disse Ana Paula.

Você viu?

PREJUÍZOS

O dono de uma caminhonete incendiada afirmou que levou um susto ao ser acordado de madrugada com a notícia de que o carro estava pegando fogo. "Eu estava em casa, dormindo. Eu moro em um apartamento e a moça que trabalha na portaria do prédio interfonou. Eu corri lá e já estava o bombeiro apagando as chamas. A gente até abriu a porta do carro e saiu aquela fumaça toda. Foi um negócio assustador", disse.

A vítima disse que o incêndio queimou todo o motor do carro, danificando o veículo completamente. No Jardim Proença, o veículo Uno que foi queimado era da publicitária Amanda Haubert e não tinha seguro. 

"A gente acordou assustado. Sempre achamos que era tranquilo (deixar o carro na rua). E de repente uma surpresa de o carro pegar fogo. A gente recebeu a notícia hoje de manhã. E não tínhamos o seguro do carro, vamos ter que arcar com o prejuízo", lamentou.



BUSCA

Após os incêndios, a Polícia Militar foi acionada e passou a ir em busca do suspeito. Vários policiais de três batalhões chegaram a ser mobilizados para procurar o suspeito. Após patrulhamento, a polícia conseguiu localizar o suspeito e o deteve na Rua João Batista Von Zuben, atrás da Santa Casa de Valinhos, depois do suspeito bater o carro em uma entrada de terra.


O homem confessou o crime e alegou ter feito isso "em nome de Deus". A polícia investiga o que motivou o homem a fazer o ato.

COMO AS VÍTIMAS DEVEM PROCEDER?

De acordo com a lei vigente do Código Penal, caso o autor dos crimes esteja fora do juízo normal pode ser considerado inimputável e, em tese, não responderá pelo caso. A outra possibilidade, ele pode responder pelos danos causados. As vítimas devem agora procurar um advogado para representá-las contra Paradella na Justiça e terem os bens ressarcidos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários