Homofobia na escola: professores divulgam carta e explicam caso
Reprodução: ACidade ON
Homofobia na escola: professores divulgam carta e explicam caso

O corpo docente da Escola Estadual Aníbal de Freitas, em Campinas divulgou, na noite desta sexta-feira (18), uma carta para se pronunciar sobre o episódio de discriminação contra um aluno de 11 anos que foi criticado no grupo de WhatsApp da unidade.

O caso aconteceu no dia 11 de junho após o aluno sugerir um trabalho com tema LGBT.

A diretora e a mediadora da escola foram afastadas pela Seduc SP (Secretaria Estadual de Educação) e vão exercer atividades exclusivamente burocráticas.

DESDOBRAMENTOS

O promotor da Vara da Infância e Juventude, Rodrigo Augusto de Oliveira , vai apurar o ocorrido na unidade. A Polícia Civil também está com inquérito aberto.

A escola divulgou um pedido de desculpas. Além do pedido de desculpas, a Secretaria Estadual de Educação informou que vai promover uma série de eventos para discutir preconceitos.

Você viu?


CONFIRA A CARTA DOS PROFESSORES

Embasados por trabalhos realizados ao longo de mais de uma década, nós professores desta UE, nos sentimos muito à vontade ao declarar que jamais nutrimos em nossa equipe, qualquer tipo de preconceito ou discriminação e salientamos que o episódio ocorrido com o estudante do 6° ano do Ensino Fundamental - na última sexta feira (11/06/2021) - não fez e não faz parte da nossa metodologia e muito menos do nosso caráter. Dessa forma não faz sentido as acusações e a hostilidade a nós direcionadas por parte das mídias sociais e da imprensa.

Queremos esclarecer também que permanecemos calados até o presente momento, por motivos profissionais onde estávamos nos resguardando até adquirirmos base legal, que nos assegurasse ao cargo que ocupamos, para só então divulgarmos esta carta; também porque os fatos não nos foram completamente esclarecidos como o esperado pelos responsáveis ao ocorrido. Este corpo docente preza e incentiva ao protagonismo dos estudantes, bem como sempre prezou por um ambiente educacional livre de qualquer preconceito ou discriminação e estamos comprometidos em intensificar nossos esforços para promover atividades com temáticas diversificadas que possam continuar contribuindo para a inserção de nossos alunos na sociedade atual.

Desejamos muito que o lamentável fato ocorrido não afaste o aluno de seus objetivos e sonhos para a transformação de uma sociedade mais justa e acolhedora; da mesma forma estamos de braços abertos para o acolher e juntos traçarmos caminhos que o leve à realização de suas metas.

A atitude tomada com relação ao fato, ocorreu sem o conhecimento prévio e, portanto, sem análise e consentimento desta equipe docente.

Lamentamos muito tudo que se seguiu desde então e esperamos que o episódio tenha um desfecho justo de acordo com as normas legais que caibam ao caso e para o bem comum de todos os envolvidos, direta ou indiretamente nessa situação.

Nos tempos difíceis pelos quais estamos passando, nosso desejo é apenas e tão somente o de continuar desenvolvendo nosso trabalho com a mesma dedicação, responsabilidade, empatia e carinho como sempre fizemos e por isso sempre tivemos o reconhecimento da sociedade e de nossos superiores. Que continuemos em Paz!

Toda a equipe docente da Escola Estadual Professor Aníbal de Freitas

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários