Campinas volta a ampliar horário de comércios e serviços até 21h
Reprodução: ACidade ON
Campinas volta a ampliar horário de comércios e serviços até 21h

A Prefeitura de Campinas anunciou hoje (28) a ampliação, novamente, do horário de funcionamento do comércio, serviços e restaurantes que poderão voltar a funcionar até 21h. Com a alteração o toque de recolher também passa a ser das 21h às 5h durante a fase de transição.

A medida é válida a partir do dia 1º de julho (próxima quinta-feira), com a publicação do decreto no Dário Oficial. A ocupação dos serviços mantém-se em 40%.

A medida foi tomada por conta da situação epidemiológica de Campinas, cujo hospitais tiveram queda de atendimento de casos covid e síndromes gripais, além do avanço da vacinação (leia mais abaixo).

Desde o dia 18 de junho, a Administração havia diminuído o horário de funcionamento de comércios, restaurantes e outros serviços, com fechamento às 19h. Isso devido aos números da covid-19 e tendência de crescimento de casos e internações até então. Essa regra é válida até o dia 30 de junho. 

"Gosto de repetir que a cidade de Campinas tem tomado as medidas com base em indicadores gerais, de ocupação de leitos, de mortalidade, mas também com base em indicadores precoces. Hoje já é um parâmetro para outras cidades. Na segunda onda da covid, tivemos 13% menos mortes comparado ao estado de São Paulo", disse o prefeito Dário Saadi.

Você viu?

NO ESTADO

Em todo o estado de São Paulo, estão válidas as regras da fase de transição do Plano São Paulo, que permite atividades com capacidade de até 40% e horário de funcionamento entre 6h e 21h. No dia 23 de junho, o governador João Doria (PSDB) prorrogou essa fase até o meio de julho

RESTRIÇÃO

Em Campinas, a medida mais restritiva foi adotada no dia 18 de junho após a recomendação do governo estadual de que cidades com ocupação de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de coronavírus acima de 90% endureçam a quarentena. Hoje, a taxa de ocupação das UTIs dos hospitais públicos e privados é de 93%.

HISTÓRICO DA SITUAÇÃO

Segundo o secretário de Saúde de Campinas, Lair Zambon, medidas muito duras foram tomadas em março devido ao aumento de internações de covid, e nessa época, houve aumento também de queixas respiratórios (suspeitos ou confirmados de covid). Vale lembrar que março foi o mês mais letal da pandemia em Campinas.

Passado esse período, foi adotada a medida de diminuir o horário de funcionamento até 19h, o que refletiu em queda desses casos atendidos. "Tivemos uma diminuição importante, mais de 20% nesses casos sintomáticos respiratórios em Centros de Saúde", afirmou. Agora, a cada 100 testes realizados, 33 são confirmados covid.

"Isso permite a gente tomar algumas medidas. Em relação ao número de vacinação, vemos um número a partir de 70 anos onde todos estão vacinados. Em torno de 65 a 69 anos, metade está vacina com as duas doses. Entre 60 a 64 anos, é um quarto da população", explicou.

No total, 17,8% dos moradores de Campinas estão vacinados contra a covid-19 - sendo o público-alvo pessoas maiores de 18 anos.


Sobre a situação, o presidente da Rede Mário Gatti, Sérgio Bisogni, é que os casos estão menos graves no total de atendimentos. "Precisamos de menos pacientes encaminhados à UTI. Sobre a fila a UTI, uma das características, é que pacientes abaixo de 60 anos ficam mais tempo na UTI. Antes eram 16 dias e hoje são 18. Isso afeta a reciclagem, isso explica um pouco. Mas a situação é mais confortável que há duas semanas".

EM JULHO

Se em julho forem vacinadas 100 mil pessoas em primeira dose e 120 mil em segunda, Zambon acredita que a cidade pode começar a ver o fim da pandemia de covid-19. Essa projeção já havia sido feita na sexta-feira (25) pelo responsável pela pasta.

Para Bisogni, existe uma perspectiva boa com o avanço da vacinação contra a covid, quando poderemos renunciar a alguns cuidados. "A situação é mais otimista que há semanas atrás", afirmou.


ATIVIDADES QUE FECHAM ÀS 21H A PARTIR DE 1º DE JULHO

- Comércio e serviços

- Supermercados

- Shopping centers

- Atividades religiosas

- Restaurantes e similares

- Salões de beleza, barbearias e clínicas de estética

- Atividades culturais, como museus, teatros, cinemas e salas de espetáculo

- Parques públicos das 6h às 18h

- Clubes sociais

- Academias de esportes e centros de ginástica

- Cursos do setor de educação não regulada, como idiomas, informática, autoescola, dança, música e teatro

- Áreas comuns de condomínio

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários