Projeto oferece abrigo para andarilhos que passam pelas rodovias em Campinas
Reprodução: ACidade ON
Projeto oferece abrigo para andarilhos que passam pelas rodovias em Campinas


A Prefeitura de Campinas, a Polícia Rodoviária e a concessionária Autoban, iniciam em conjunto nesta quinta-feira (1º) um projeto piloto para oferecer assistência para pessoas em situação de vulnerabilidade que caminham pelas rodovias em Campinas.

O projeto visa acolhimento aos andarilhos, que estão expostos a riscos durante o trajeto beirando a pista. Durante o projeto, equipes vão acolher moradores de rua que não são atendidos em abrigos municipais durante a noite, durante o período de frio intenso.

Na abordagem, as pessoas serão convidadas a receber atendimento em abrigos. Inicialmente, o projeto piloto será implantado só em Campinas, mas com possibilidade de expandir para outras cidades.

Segundo a Polícia Rodoviária, o projeto visa ainda trazer mais segurança e evitar acidentes nas pistas. 

Você viu?

"Analisando os atropelamentos na região de Campinas, foi constatado que a maior parte das vítimas, inclusive fatais, eram pessoas itinerantes. Muitos deles com uso de drogas ou bebidas alcóolicas, o que aumenta o risco de acidentes", explicou o tenente Jaelson Nobre, da Polícia Militar Rodoviária. 

QUEM SÃO

No sistema Anhanguera-Bandeirantes, de abril até 22 de junho a concessionária abordou 21 moradores em situação de rua para identificar o perfil destas pessoas. O levantamento apontou que a maior parte dos andarilhos, cerca de 81% são homens, com idade média de 42 anos, sem residência fixa. Mais da metade (67%) relataram não ter profissão e 56% afirmaram ter alguma dependência química.

Um dado que chamou a atenção é o horário do tráfego em meio as pistas. Cerca de 33% afirmaram andar nas rodovias de noite, e 10% durante a madrugada.


COMO VAI FUNCIONAR

O serviço de ajuda será feito 24h, mas com abordagens principalmente no período noturno. "Essa abordagem será feita pela equipe, nós acionamos nosso centro de controle operacional, que aciona o policiamento e também nossa equipe de resgate, que vai até o local para fazer avaliação da situação do andarilho", explicou o gerente de atendimento da CCR Autoban, Fabiano Adami.

Quando é encaminhado ao serviço social, o andarilho é atendido pela Prefeitura.


"Aqui ele recebe atendimento psicológico, social, e buscamos entender o histórico dessa pessoa, se estiver de passagem nós tentamos contato com a família, para o encaminhamento. Oferecemos o serviço, mas a adesão depende deles", disse a secretária de Assistência Social de Campinas, Vandercleya Moro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários