Live vai abordar Modernismo(s) e Guilherme de Almeida
Reprodução: ACidade ON
Live vai abordar Modernismo(s) e Guilherme de Almeida

A secretaria de Cultura de Campinas fará hoje (6) uma live sobre  Modernismo (s) e Guilherme de Almeida.  A transmissão virtual faz parte da programação da Semana Guilherme de Almeida, que começou no domingo, 4 de julho e vai até o dia 11 de julho. A transmissão será às 14h. 

A live será transmitida no canal do Youtube Cultura Abraça Campinas. A programação da Semana Guilherme de Almeida está disponível no https://semanaguilhermedea.wixsite.com/2021 .

QUEM PARTICIPA?

Participam da live Victor Schlude, que fará a mediação, Marcelo Tápia e Ivanei da Silva. Victor Schlude é professor de língua inglesa e portuguesa formado pela UFRJ e doutorando em Linguística Aplicada pela Unicamp. Interessado nas relações entre educação, pedagogias críticas e tecnologias, é membro dos grupos de pesquisa TECLE (Unicamp) e Horizonte (UFSCar). Produz conteúdo sobre cultura, arte e entretenimento para o podcast Cultzinhas e o projeto Conta Essa História.

Marcelo Tápia é poeta, tradutor, ensaísta e professor, é graduado em Letras (Português e Grego) e doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP, onde também realizou pós-doutorado em Letras Clássicas. É professor do LETRA Programa de Pós-Graduação em Letras Estrangeiras e Tradução da FFLCH-USP. Dedicado a estudos acerca de museus-casas, preservação e produção de memória, é diretor da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, formada por Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Você viu?

Ivanei da Silva é museólogo pela UniRio e mestre em Memória Social e Documentos pela mesma instituição. Atuou em diversos projetos de produção, conservação e montagem de exposições e, atualmente, trabalha na Poiesis Instituto de Apoio à Língua, à Cultura e à Literatura, atuando como museólogo da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, que inclui a Casa das Rosas, a Casa Guilherme de Almeida e a Casa Mário de Andrade. 

A SEMANA   

A semana esta sendo transmitida no canal do Youtube Cultura Abraça Campinas. A programação segue durante a semana no https://semanaguilhermedea.wixsite.com/2021

Dia 06/07 Trovas a Guilherme de Almeida
União Brasileira de Trovadores UBT Seção Campinas

Dia 07/07 Guilherme de Almeida em declamação de poesia, ilustração e leitura dramática
Ateliê Lisa França

Dia 08/07 Poesia e outras Artes EMEF Profª Angela Cury Zakia
Secretaria Municipal de Educação SME

Dia 08/07- Semana Guilherme de Almeida apresenta: Sarau da Anne
Sarau da Anne

Dia 09/07 Canção do Expedicionário
Centro de Ciências Letras e Artes CCLA e
Associação Brasileira Carlos Gomes de Artistas Líricos ABAL Campinas

Dia 09/07 Poemas a Guilherme de Almeida
Academia Campineira de Letras e Artes

Dia 10/07 Ultrapassando fronteiras com Guilherme de Almeida
Projeto OndulAções

Dia 10/07 Guilherme de Almeida em Cordel
Samuel de Monteiro

Dia 11/07 Guilherme de Almeida e o Modernismo
Biblioteca Pública Distrital de Sousas Guilherme de Almeida

Dia 11/07 às 16h LIVE de Encerramento Slam do Meio Batalha de poesia
Slam do Meio

Príncipe dos Poetas

Guilherme de Almeida, poeta e ensaísta, nasceu em Campinas, em 24 de julho de 1890, e faleceu em São Paulo, em 11 de julho de 1969. Filho do jurista e professor de Direito Estevam de Almeida, estudou nos ginásios Culto à Ciência, de Campinas, e São Bento e Nossa Senhora do Carmo, de São Paulo. Cursou a Faculdade de Direito de São Paulo, onde colou grau de bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, em 1912. Dedicou-se à advocacia e à imprensa em São Paulo e no Rio de Janeiro. Foi redator de O Estado de São Paulo, diretor da Folha da Manhã e da Folha da Noite, fundador do Jornal de São Paulo e redator do Diário de São Paulo.

A publicação do livro de poesias "Nós" (1917), início de sua carreira literária, e dos que se seguiram, até 1922, de inspiração romântica, colocou-o entre os maiores líricos brasileiros. Em 1922, participou da Semana de Arte Moderna, fundando depois a revista Klaxon.

Percorreu o Brasil, difundindo as ideias da renovação artística e literária, em conferências e artigos, adotando a linha nacionalista do Modernismo, segundo a tese de que a poesia brasileira "deve ser de exportação e não de importação". Os seus livros "Meu" e "Raça" (1925) exprimem essa orientação fiel à temática brasileira.



A sua entrada na Casa de Machado de Assis significou a abertura das portas aos modernistas. Formou, com Cassiano Ricardo, Manuel Bandeira, Menotti del Picchia e Alceu Amoroso Lima, o grupo dos que lideraram a renovação da Academia Brasileira de Letras. Em concurso organizado pelo Correio da Manhã foi eleito, 16 de setembro de 1959, "Príncipe dos Poetas Brasileiros".

Foi membro da Academia Paulista de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, do Seminário de Estudos Galegos, de Santiago de Compostela e do Instituto de Coimbra. Traduziu, entre outros, os poetas Paul Géraldy, Rabindranath Tagore, Charles Baudelaire, Paul Verlaine e, também, a peça "Entre quatro paredes", de Jean Paul Sartre.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários