Secretaria de Saúde vê regressão da pandemia.
Fernanda Sunega/Prefeitura de Campinas
Secretaria de Saúde vê regressão da pandemia.

A secretaria de Saúde de Campinas afirmou nesta segunda-feira (26) que a pandemia de covid-19 está regredindo na cidade. A informação é baseada nos indicadores que apontam uma queda importante. Entre eles, estão a taxa de ocupação hospitalar e também o recuo no número de casos graves da doença.

Segundo a Administração, houve uma queda de 16,6% de casos novos e 17% no número de óbitos por coronavírus na última semana. De acordo com o prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), a avaliação foi feita tanto nos indicadores tradicionais como em números precoces.

"O número também refletiu nos atendimentos da rede básica e no gripário, além de queda de casos graves no comparativo com o total", disse o prefeito.

A diretora do Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde) de Campinas, Andrea von Zuben, afirmou que o município está em uma fase de regressão, principalmente, por conta do índice que aponta a transmissão do vírus entre as pessoas. A taxa de transmissão nesta segunda-feira está em 0,9, com intervalo de confiança entre 0,77 e 1,12.

"Esse indicador mostra a capacidade de reprodução do vírus, que em Campinas está abaixo de 1. Além disso e de outros indicadores citados, o número de exames positivos laboratoriais também teve queda. De cada 100 pessoas com gripe, cada vez menos, tem casos de covid", disse.

Ela afirmou, no entanto, que ainda é preciso manter os cuidados, uma vez que a vacinação diminui a gravidade da infecção, mas não evita.

"Estamos sim em uma fase de regressão. Apesar de ter despencado os óbitos nas faixas etárias na população 100% vacinada. Ainda temos pessoas sem as duas doses ainda - o que poderia impedir a circulação viral", explicou.

VACINAÇÃO

A vacinação contra a covid-19 em Campinas atingiu 871.770 doses aplicadas nesta segunda-feira. Até agora, 70,2% das 922.781 pessoas a partir de 18 anos que moram em Campinas foram vacinadas com a primeira dose (638.126) ou com a vacina em dose única (22.318) (veja detalhes abaixo).

Você viu?

1ª DOSE

Hoje, na população alvo (a partir de 18 anos), a situação vacinal é de mais de 100% de primeiras doses aplicadas nas faixas etárias acima de 55 anos. De 50 a 54 anos, o índice é de 92,1%. Veja mais faixas etárias abaixo:

- 45 a 49 anos: 87,7%
- 40 a 44 anos: 88,2%
- 35 a 39 anos: 71,3%
- 30 a 34 anos: 29,8%
- 25 a 29 anos: 17,7%
- 20 a 24 anos: 16,6%
- 18 e 19 anos: 13%


Vale lembrar que o último agendamento aberto para moradores sem doenças prévias ocorreu na última terça-feira (20), quando pessoas com mais de 30 anos sem comorbidades puderam marcar a data da vacina contra a covid.

2ª DOSE E DOSE ÚNICA

Em relação ao total de 2ª e única dose, a imunização da população geral é de 24,5%, sendo que a partir da faixa etária de 60 a 64 anos o índice atingiu mais de 100% de imunização. Veja como estão as outras faixas estão:

- 60 a 64 anos: 41,2%
- 55 a 59 anos: 11,7%
- 50 a 54 anos: 13%
- 45 a 49 anos: 13,1%
- 40 a 44 anos: 12,8%
- 35 a 39 anos: 19,1%
- 30 a 34 anos: 8%
- 25 a 29 anos: 5,3%
- 20 a 24 anos: 3,3%
- 18 e 19 anos: 1,43


CUIDADOS

A diretora do Devisa afirmou que, apesar da melhora, ainda que é preciso manter os cuidados contra o coronavírus principalmente por conta da variante delta, que a Saúde acredita que já está circulando em Campinas.

Com isso, a recomendação é manter os cuidados contra a covid-19, como o distanciamento social, o uso de máscara de proteção, a lavagem das mãos e o uso de álcool em gel.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários