Comércio de Campinas teve aumento de faturamento em julho.
Carlos Bassan / Pref. de Campinas
Comércio de Campinas teve aumento de faturamento em julho.



No último mês, o comércio de Campinas faturou, nas vendas físicas, cerca de R$ 1,040 bilhão, representando um aumento de cerca de 108,7% do faturado em julho de 2020. Já na RMC (Região Metropolitana de Campinas), o faturamento foi de R$ 2,507 bilhões, representando 108,7% do registrado em julho de 2020. 

Os dados de julho de 2021 foram divulgados pela Boa Vista - SCPC , e foram avaliados em função do faturamento pela Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas). 

Além do aumento no faturamento comparando os anos , julho também foi o terceiro mês consecutivo com aumento de vendas.  Segundo a Acic, o comércio da RMC apresentou uma elevação de 12,65% em relação a junho e de 8,7% na comparação com julho de 2020.

"A partir de maio de 2021, quando teve início a ampliação do horário de funcionamento das atividades não essenciais no comércio varejista, os volumes de vendas começaram a crescer no comparativo com 2020, registrando crescimento de 1,75% em maio, 6,1% em junho e 8,7% em julho", comparou o economista Laerte Martins, diretor da ACIC. 

No acumulado do ano (janeiro a julho de 2021), a perda do comércio varejista de Campinas e região foi R$ 79,3 milhões. 

Você viu?

POR SETOR

Nas vendas de bens não duráveis, os principais resultados positivos em julho de 2021 foram registrados nos segmentos de supermercados (12,5%), postos de combustíveis (9,85%) e drogarias e farmácias (6,5%). 

Nas vendas de bens duráveis, materiais de construção continuaram em alta (5,25%) e o setor de vestuário surpreendeu com aumento de 1,2% na comercialização de produtos. 

Nos setores de serviços, turismo e transportes, houve redução de 2,5% nas vendas, mas, ao contrário do que vinha acontecendo, bares e restaurantes tiveram aumento de 1,2%, também em julho de 2021.


INADIMPLÊNCIA

Apesar do aumento de vendas, a inadimplência também cresceu. No comparativo entre julho de 2021e julho de 2020, o aumento da inadimplência é de 4,13% em Campinas, contabilizando 162.594 carnês/boletos não pagos. O endividamento dos consumidores da cidade somam R$ 117,1 milhões no período avaliado. 

Na RMC, são 387.129 carnês/boletos não pagos entre julho de 2020 e julho de 2021, correspondendo a R$ 278,7 milhões em valores de endividados. 

"Para o segundo semestre, acredito em uma recuperação na economia diante da expectativa de vacinação de 80% da população até outubro de 2021, e em um final de ano com o comércio bem mais aquecido", disse o economista da Acic.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários