Mandados são cumpridos hoje (Foto: Divulgação PF)


A Polícia Federal de Campinas deflagrou na manhã dessa quarta-feira (25) uma operação para desarticular uma associação criminosa acusada de fraudes eletrônicas envolvendo cartões de crédito e benefícios sociais.

Segundo a PF, entre as fraudes, estão crimes contra a Caixa Econômica Federal, inclusive, com o auxílio emergencial.  Os desvios já ultrapassaram o valor de R$ 680 mil, e a suspeita é que a quadrilha já tenha tido acesso a dados de mais de 30 mil cartões.

De acordo com a corporação, a investigação foi iniciada a partir de informações obtidas após uma prisão em flagrante, de um suspeito que fazia saques fraudulentos de benefícios sociais em nome de terceiros. A prisão do acusado aconteceu em  julho do ano passado, em uma agência da Caixa na cidade de Várzea Paulista.

"Após trabalho investigativo com o apoio da Caixa, a Polícia Federal identificou seis integrantes da associação criminosa, os quais usavam dados obtidos em bancos de dados privados e, por meio de cruzamento de informações e clonagem de cartões, buscavam beneficiários de auxílios pagos por meio eletrônico, assumindo digitalmente suas identidades e sacando os valores", informou a PF.  

Você viu?

São cumpridos na manhã de hoje quatro mandados de busca e apreensão, expedidos pela Primeira Vara Federal de Jundiaí, sendo três na cidade de São Paulo e um na cidade de Jundiaí, envolvendo seis investigados. 


O nome da operação, denominada 'Código-Fonte' vem da relação mantida pelo preso, que segundo a PF cooptou familiares e amigos para a prática do crime, fornecendo as instruções para a prática das fraudes eletrônicas. 

Os investigados vão responder pelos crimes de estelionato com causa de aumento de pena e associação criminosa, cujas penas somadas ultrapassam 10 anos de prisão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários