AME retoma atendimento ambulatorial com foco em fila de espera.
Reprodução
AME retoma atendimento ambulatorial com foco em fila de espera.


Você viu?

O AME (Ambulatório Médico de Especialidades) de Campinas retoma nesta quarta-feira (1º) o atendimento ambulatorial após a suspensão do serviço de covid-19 devido a queda nos índices da pandemia.

Nesta retomada, o objetivo do Ambulatório é focar na fila de espera de pacientes que tiveram as consultas adiadas em março, quando a pandemia se acirrou na região de Campinas. O AME funcionou cinco meses de forma exclusiva para atender pacientes de covid.

Segundo o gerente médico do AME Campinas, Pedro Tenório, somente para hoje estão agendadas 560 consultas, entre eles médicas e não médicas. Até o fim de setembro, a expectativa é zerar os pacientes que não puderam ser atendidos em março, quando o serviço voltou sua atenção para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) de covid-19.

"Durante a Uti-Covid uma parte da nossa equipe ficou dedicada a cuidar da fila de espera. Tínhamos bastante paciente agendado em março e tivemos que desagendar. Nós paramos em 15 de março (a atender ambulatoriamente). Então, no período de covid-19, validamos a fila de espera. E, agora, vamos tentar atender todos que estavam aguardando a consulta até o final deste mês", disse ele.

A perspectiva do serviço, quando totalmente implantado, é realizar 5,8 mil consultas e 600 cirurgias por mês. Neste primeiro momento, o atendimento será de consultas médicas e não médicas em 23 especialidades, exames e procedimentos de menor complexidade, mediante agendamento.

OS SERVIÇOS

A volta do AME ainda será gradual, por conta da mudança feita para a covid neste ano. A partir de hoje, serão ofertadas consultas em oftalmologia, cardiologia, dermatologia, otorrinolaringologia, anestesiologia, cirurgias geral e plástica, vascular, neurologia, ortopedia, urologia, reumatologia e endocrinologia.

Apesar disso, algumas especialidades voltarão apenas em outubro, sendo: gastroenterologia, mastologia, pneumologia, proctologia, radiologia e ginecologia.

Tenório explica que isso ocorreu porque devido aos cinco meses dedicados à covid, quando algumas equipes se desmancharam e alguns médicos foram para outros lugares.

"Estamos reformulando a equipe. Além disso, algumas especialidades não estavam implantadas (em março) e íamos começar a fazer isso no segundo semestre. Mas não tivemos tempo para implantar. A perspectiva é que até o meio do ano que vem, em junho, já tenhamos terminado o processo de implantação", afirmou.

ALTA DE PACIENTE COVID

No dia 12 de agosto, o ambulatório deu alta ao último paciente com covid-19 na unidade, após quase cinco meses de exclusividade no tratamento da doença. 

EM 2020


Em 2020, o AME de Campinas foi inaugurado antecipadamente e já com o perfil de Hospital de Campanha para covid-19 para reforçar a rede no combate à pandemia.

Agora, com a queda dos indicadores da doença, a unidade aumentará gradualmente a oferta de consultas e cirurgias.



CASOS GRAVES

A unidade atendeu casos graves da covid-19 na primeira e segunda onda da pandemia. Em ambos os períodos, foram assistidos 591 pacientes da região de Campinas.

Com a mudança agora, eventuais casos de covid-19 da região que precisarem de atendimento terão assistência garantida por meio do direcionamento a outros hospitais de referência.

ONDE FICA

O AME está localizado na Av. Pref. Faria Lima, 486 Vila Industrial, Campinas-SP.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários