Devisa: falha de 18 dias do E-Sus não afetou controle da covid
Reprodução: ACidade ON
Devisa: falha de 18 dias do E-Sus não afetou controle da covid

O E-Sus Notifica, do Ministério da Saúde, voltou a funcionar nesta segunda-feira (27), mas os quase 20 dias de problemas nas notificações de infectados pelo coronavírus não atrapalharam as medidas de acompanhamento e controle da pandemia em Campinas.

A afirmação é da diretora do Devisa (Departamento de Vigilância Sanitária), Andrea von Zuben , que confirma que a falha aconteceu outras vezes e que este último período, iniciado em 9 de setembro, foi o mais longo desde o início das confirmações de covid-19 na cidade.

De acordo com ela, mesmo que a situação tenha causado a subnotificação da doença, na prática não houve prejuízo ao trabalho feito pelo órgão e pelas demais autoridades na avaliação sobre os índices de contaminação, gravidade e óbitos no município.

"Foi o maior período. Mas existem outras maneiras de sabermos os casos. Pelas notificações diárias, pelos dados de sintomáticos respiratórios, pelo sistema de laboratórios, pelo banco de dados de hospitalizados. Campinas faz vários tipos de monitoramento e por isto há menos problema de monitorar", disse.

FALHA NACIONAL

O "apagão" do E-Sus afetou secretarias por todo o Brasil. Na Bahia, por exemplo, a pasta estadual de Saúde divulgou no dia 11 que a instabilidade na plataforma impossibilitou o "acesso aos dados das últimas 24 horas". A falha, diz o texto, é "recorrente desde o lançamento da nova versão em 8 de setembro".

A própria secretaria de Saúde de Campinas passou a relatar o problema na divulgação diária sobre os casos da doença. O texto enviado à imprensa justificava que a contagem era afetada pelo E-Sus e só era possível graças ao Sivep-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe).

Leia Também

O QUE É A PLATAFORMA

O sistema foi implementado pelo Ministério da Saúde devido à pandemia de covid-19 "para auxiliar a vigilância epidemiológica na identificação e monitoramento dos casos no território, bem como das demais autoridades sanitárias", segundo o próprio Governo Federal.

Ainda segundo o ministério, "todo profissional e estabelecimento de saúde pode realizar notificações a que se destina o módulo, após cadastro prévio". Há a possibilidade de fazer a inclusão dos dados de quatro formas: autocadastro, gestor municipal, gestor estadual e gestor federal.

O autocadastro visualiza somente os registros digitados pelo seu login de acesso e pode notificar e editar uma notificação realizada por ele mesmo, incluindo dados de identificação da pessoa, dados clínicos e dados de exames.


Os gestores municipais e estaduais podem visualizar os registros digitados por usuários notificados e residentes em sua área de abrangência, além de poder notificar, editar e sobretudo encerrar uma notificação, incluindo informações sobre a classificação final, evolução do caso e data de encerramento.

Os perfis de gestores municipal e estadual também podem autorizar novos usuários e habilitar perfis para seus territórios. Já o gestor federal visualiza os registros digitados por usuários de todo o território nacional e pode também habilitar qualquer outro perfil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários