Samu renova frota de ambulâncias em Campinas
Reprodução: ACidade ON
Samu renova frota de ambulâncias em Campinas

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel e Urgência - 192) de Campinas renovou a frota de veículos para o atendimento de urgência e emergência na cidade. Segundo a Prefeitura, dez ambulâncias foram trocadas por veículos zero-quilômetro e a troca foi feita sem custos adicionais, dentro do contrato de locação dos veículos, que prevê a atualização da frota a cada dois anos.

Ainda de acordo com a Prefeitura, além das ambulâncias locadas, de suporte básico, o serviço tem mais quatro veículos próprios, de suporte avançado, totalizando uma frota de 14 viaturas. 

MAIS NOVOS

O Samu recebe, em média, 6 mil chamados mensais que incluem pedidos de socorro médico, orientações e informações gerais. As ambulâncias atendem mensalmente entre três mil e quatro mil ocorrências.

O diretor de Urgência e Emergência da Rede Mário Gatti, Steno Pieri, disse que a troca, prevista em contrato, é necessária por causa da intensa rodagem diária que passam a exigir muita manutenção e, consequentemente, possíveis baixas no efetivo das viaturas, comprometendo o serviço

"Recentemente adquirimos 13 tablets e passamos a utilizar ferramentas tecnológicas para aumentar a eficiência na logística dos atendimentos. O serviço está utilizando georreferenciamento para rastrear as ambulâncias em tempo real e auxiliar na tomada de decisão e regulação dos atendimentos móveis de urgência pré-hospitalar", afirmou.

Leia Também



Além disso, o Samu vai inaugurar, no início do ano, uma nova base na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Anchieta-Metropolitana, no distrito de Nova Aparecida. O investimento na infraestrutura é de R$ 150 mil.

A unidade terá uma estrutura com três viaturas de suporte básico de vida e um suporte avançado (UTI). Com localização estratégica, o Samu estará em uma área geográfica mais distante do Centro, o que permitirá redução de tempo de resposta no atendimento e será apoio importante também para a UPA, que recebe pacientes graves que demandam transferências rápidas para unidades hospitalares.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários