Ciclovia liga os corredores Campo Grande e Ouro Verde.
Divulgação/Emdec
Ciclovia liga os corredores Campo Grande e Ouro Verde.


A Prefeitura de Campinas divulgou nesta quinta-feira (11) o plano de construção de quatro ciclofaixas no distrito do Campo Grande a partir de dezembro. As obras, estimadas em R$ 750 mil, têm prazo de entrega de até seis meses. 

De acordo com o presidente da Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), Ayrton Camargo e Silva, todos os trechos serão implantados na região do corredor do BRT que passam pela Avenida John Boyd Dunlop. 

As estruturas foram planejadas para interligar estações e terminais do transporte coletivo e também pontos de interesse, como escolas, centros de saúde, igrejas e regiões comerciais e com grande fluxo de moradores. 

"Nós iniciamos esse estudo e esse conjunto de quatro ligações é o primeiro que a gente está analisando, mas temos mais trechos dos corredores do BRT que nós também vamos analisar. A ideia é que sejam feitos da forma mais segura", disse. 

Ainda de acordo com Ayrton, 12 entidades de cicloativistas do município foram ouvidas e fizeram sugestões sobre os trajetos e os detalhes do planejamento. Somadas, as quatro ciclofaixas terão 7,4 km. Veja abaixo os detalhes: 

- Florence Pirelli: 3,7 km (com paraciclo)
- Garcia/Londres Fase 1: 2,1 km (com bicicletário e paraciclo)
- Jardim Aurélia: 900 m (com paraciclo)
- Pirelli/Satélite Íris: 700 m (com bicicletário) 

SEGURANÇA VIÁRIA

Leia Também

Conforme o plano da Emdec, a ciclofaixa Pirelli/Satélite Íris será a única da região a passar pelo corredor da Avenida John Boyd Dunlop, via que concentra alta taxa de acidentes com feridos e mortes nos últimos meses e semanas. 

O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), reconhece que a situação é motivo de preocupação. "Temos problemas de segurança. É um lugar problemático, mas temos condições de fazer as obras com segurança", garantiu. 

Leia Também

Além disso, segundo presidente da Emdec, os responsáveis pela fábrica da Pirelli instalada no local foram procurados para participar da elaboração do projeto. A ideia é que uma parceria seja viabilizada para a instalação do trecho.  

Ciclofaixa na John Boyd terá 700 metros em frente à Pirelli (Foto: Reprodução/Emdec)
Ciclofaixa na John Boyd terá 700 metros em frente à Pirelli (Foto: Reprodução/Emdec)

PROMESSA

As demais ciclofaixas vão ser construídas em outras vias do entorno, como a Avenida Império do Sol Nascente e a Rua Castelnuovo. A ideia é que os 7,4 km integram uma etapa de 22 km de obras cicloviárias em todo o município. 

As demais implantações estão previstas para outros bairros e regiões, como a ciclofaixa do San Martin, com 5,6 km, a do Barão do Café, em Barão Geraldo, com 6,2 km, e a dos bairros Paineiras, 6,9 km, e Vila União, com 3,3 km. 

"Esses 22 quilômetros vão se somar àqueles 78 quilômetros já existentes, o que vai fechar o pacote inicial de 100 quilômetros de ciclovias e ciclofaixas em nosso município", afirmou o presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva. 


Questionado sobre a promessa da gestão anterior de entregar 122,8 km de ligações deste tipo, o prefeito Dário Saadi prometeu completar esse planejamento, mas alega que o planejamento será feito a partir de estudos. 

"Nós temos muitos estudos em andamento. Inclusive, estudos no próprio corredor do BRT. Quando concluirmos os estudos, nós vamos passar mais detalhes. Não sabemos se todos os corredores terão segurança", afirma.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários