Câmara aprova Comissão Processante contra Nelson Hossri
Reprodução: ACidade ON
Câmara aprova Comissão Processante contra Nelson Hossri

A Câmara de Campinas aprovou por 19 votos a sete nesta quarta-feira (17) a instauração de uma CP (Comissão Processante) contra o vereador Nelson Hossri (PSD). A votação teve ainda cinco abstenções e duas ausências (veja abaixo).

A comissão terá agora prazo de cinco dias para apresentar a denúncia formal ao acusado. Já o vereador tem 10 dias para apresentar a sua defesa, a contar do recebimento da denúncia. A CP pode culminar na cassação do parlamentar.

O pedido aprovado defende que Hossri "expôs a Casa, não atuou com sobriedade" e "cometeu tentativa de agressão e ameaças" durante a sessão do dia 8 de novembro , quando Paolla Miguel (PT) foi alvo de injúria racial.

De acordo com o texto, o vereador "convocou grupos de apoiadores" que realizaram um ato antivacina na Câmara e incitou os manifestantes a ofenderem os colegas. Em um dos ataques, uma mulher xingou Paolla de "preta lixo".

O documento se baseia ainda no artigo 6º do Código de Ética do Legislativo de Campinas, defende que houve postura "incompatível com o decoro parlamentar" e lembra que Hossri chegou a tirar a máscara durante discurso.

A solicitação foi assinada por três eleitores ligados a movimentos sociais e partidos de esquerda e cita ainda ameaças de agressão física contra o vereador Gustavo Petta (PCdoB) e de agressão verbal contra dois assessores da Casa.

O primeiro desentendimento aconteceu quando Petta desceu da tribuna, questionou a postura de Hossri. Neste momento, segundo o pedido de CP, ele foi "agredido verbalmente, ameaçado e empurrado" pelo vereador do PSD.

A confusão entre os dois foi registrada em vídeo durante a transmissão ao vivo da sessão. "Uma agressão física maior só não aconteceu porque Hossri foi contido", alega o texto, que cita outros parlamentares que estavam próximos.

A outra ameaça aconteceu em um espaço interno da Câmara durante a suspensão da sessão por conta da confusão e do tumulto no plenário e nas galerias. Neste caso, Hossri teria ameaçado de agressão dois assessores de Petta.

Leia Também



COMPOSIÇÃO

Após a aprovação da abertura, foi definida a composição da CP. Os nomes de Paolla Miguel e Paulo Haddad (Cidadania) foram os primeiros sorteados.

Edson Ribeiro (PSL) e Rodrigo da Farmadic (DEM) abriram mão ao serem citados. Com isso, Paulo Gaspar (Novo) foi sorteado e aceitou compor a CP.

Após uma reunião, os três membros definiram Haddad seria o presidente e Paolla seria a relatora. Gaspar ficou como integrante da comissão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários