Câmara de Valinhos aprova captação de água em Campinas.
Agência Brasil/EBC
Câmara de Valinhos aprova captação de água em Campinas.


Leia Também

A Câmara de Valinhos aprovou por unanimidade, na noite desta terça-feira (16), o acordo de captação de água de Campinas. O projeto de lei autoriza a abertura de crédito adicional suplementar no valor de até R$ 2 milhões no Departamento de Águas e Esgotos (Daev) para a ação. A proposta aprovada inclui dinheiro para viabilizar o acordo de captação de água de Campinas, mas não especifica o custo que o tratado deve ter, caso seja oficializado. 

O município está em emergência devido ao período de estiagem e adiantou, na última sexta-feira (12), que dará continuidade ao racionamento de água por pelo menos até o dia 12 de dezembro. Ainda segundo o Daev, a possibilidade de estender o rodízio de abastecimento até 2022 não está descartada. 

O ACORDO

O anúncio das negociações entre os municípios, para iniciar a captação de 800 milhões de litros de água já tratada, teve início há 40 dias
. Mas a assinatura está parada devido à necessidade da avaliação orçamentária dos vereadores. Ontem aconteceu a primeira votação.

A Sanasa respondeu que nada impede o fornecimento do ponto de vista da empresa e que está apenas dependendo da assinatura de contrato para começar o fornecimento. A empresa está aguardando as providências do Daev e da Prefeitura.



Apesar da aprovação de ontem em Valinhos, alguns parlamentares alertaram para a falta de transparência por parte do Executivo sobre como o dinheiro será aplicado. Porém, votaram a favor devido à necessidade do município. A discussão começou por volta das 8h30 da noite e a votação terminou momentos antes das 22h.

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

A Prefeitura de Valinhos promulgou a emergência que prevê a continuidade da bandeira vermelha na cidade. Eles avaliaram que o rodízio de água ainda é necessário devido aos baixos níveis dos mananciais internos e da insuficiência de chuva no decorrer do ano. Além disso, o Sistema Cantareira, que abastece a cidade por meio do Rio Atibaia, também está operando com restrições desde o início de novembro.

O decreto municipal foi publicado no Diário Oficial com validade de 30 dias.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários