Franciane Andrade prestou depoimento nesta terça-feira (Foto: Reprodução/Instagram)
Franciane Andrade prestou depoimento nesta terça-feira (Foto: Reprodução/Instagram)

Franciane Andrade, que denunciou ter sido estuprada e dopada enquanto participava do rodeio de Jaguariúna , prestou depoimento na tarde desta terça-feira na Delegacia de Mogi Guaçu, sobre o mau atendimento que recebeu da polícia quando relatou o caso. 

A jovem de 23 anos chegou à Delegacia por volta das 15h20 acompanhada de duas advogadas e de familiares. O depoimento durou em torno de duas horas. A jovem não quis conversar com a imprensa. 

"O que a gente veio fazer aqui foi trazer informações sobre os atendimentos da Franciane. Relatar fatos que aconteceram em atendimentos dela em algumas delegacias de polícia ao narrar os fatos sobre a violência sexual que sofreu", disse a advogada Izabella Borges", esclareceu a advogada Izabella Borges em entrevista a EPTV Campinas. 

Durante sua participação no programa "Encontro com Fátima Bernardes" no início do mês, Franciane disse que foi desacreditada na delegacia ao prestar queixa sobre ter sido dopada e estuprada. Ela também reclamou da forma como o Boletim de Ocorrência foi registrado. 

TRANSFERÊNCIA 

O inquérito policial que investiga o caso de Franciane foi transferido para DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Mogi Guaçu. Até então, a investigação era de responsabilidade da Delegacia de Jaguariúna. 

Leia Também

A transferência foi solicitada pela defesa da jovem, que reclamou do atendimento feito pela Delegacia de Jaguariúna, e aceita pela Corregedoria-Geral da Polícia Civil.  

Leia Também

"A investigação está tramitando agora em uma delegacia especializada no atendimento a mulher. Isso é muito bom porque assim a dignidade da Franciane fica preservada e ela passa a ser atendida por profissionais que são especializados no atendimento da mulher", disse Izabella Borges.

Nesta terça-feira, a Secretaria de Segurança Pública confirmou a transferência. Entretanto, detalhes não foram divulgados devido à natureza do crime. 


IMAGENS 

O caso é investigado em segredo de justiça. Sobre as imagens do sistema de monitoramento da cidade e das 53 câmeras de segurança do Rodeio de Jaguariúna, que foram disponibilizadas pela organização do evento, Izabella disse que a análise desse material pela polícia irá demorar. 

"Houve a entrega dessas imagens e isso será submetido à perícia, que é algo que vai demorar ainda. Ninguém teve acesso a nenhum tipo de resultado sobre essas imagens até agora (...) Então, é importante ressaltar isso para que não haja expectativas distorcidas de que já houve um resultado sobre a perícia dessas imagens", afirmou advogada. 

Além disso, de acordo com a defesa de Franciane, o período de recesso de fim de ano, deve atrasar o esclarecimento do caso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários