Sério Bisogni, presidente da Rede Mário Gatti.
Carlos Bassan/ Prefeitura de Campinas
Sério Bisogni, presidente da Rede Mário Gatti.

Para reforçar o atendimento diante da alta de casos e sintomas de gripe na cidade, a Rede Mário Gatti de Saúde em Campinas vai transferir profissionais das unidades e planeja pagar um bônus a médicos que trabalharem aos fins de semana. 

As medidas foram confirmadas nesta quarta-feira (29) pelo presidente da rede, Sergio Bisgoni, que define a situação como "epidemia". 

"Estamos com uma epidemia de gripe durante uma pandemia de covid-19 e de alta de casos de arboviroses que são comuns nessa época do ano. Nós estamos com uma demanda de três a quatro vezes a média do que acontece normalmente em dezembro. E isso está causando uma sobrecarga no sistema em um período em que é difícil a contratação de profissionais", explica. 

Para contornar as dificuldades, o presidente da Rede Mário Gatti detalha que as transferências serão feitas para locais com maior necessidade de ampliação de profissionais. Já o valor a mais a ser pago aos trabalhadores da saúde que atuarem nas unidades às sextas, sábados e domingos depende ainda da elaboração de um decreto municipal. 

"Nós teremos uma reunião hoje à tarde no gabinete do prefeito para tentar ampliar um decreto que foi feito no início de dezembro, de pagar um valor a mais aos profissionais médicos que atenderem de sexta, sábado e domingo. Nós estamos querendo ampliar esse decreto para outras unidades, porque ele foi feito somente para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Campo Grande", esclarece ele. 

Apesar de reconhecer a pressão no atendimento e a desestruturação do sistema por conta da elevação dos quadros gripais, Bisogni diz que todos os pacientes são recebidos. Ele explica que a demora enfrentada pela população nas unidades é causada pela elevação de casos leves, nos quais o tratamento é domiciliar e não há necessidade de internações. 

UNIDADES LOTADAS 

Leia Também

Desde o início da semana, locais como os hospitais municipais Doutor Mário Gatti, a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Campo Grande e o Mário Gatti-Amoreiras, antigo Metropolitano, têm registrado grande movimentação, com pacientes lotando os bancos salas de espera, aguardando em pé nas partes externas dos espaços e até deitados no chão por falta de espaço. 

Leia Também

Na noite desta terça (28), um paciente da UPA São José se revoltou com a demora por atendimento na unidade. O homem, querendo ajudar a esposa que aguardava há horas, chegou a se enfurecer na recepção. "Chama aquela p** agora, mano", gritou. 

Para controlar a situação, equipes da UPA acionaram a PM (Polícia Militar) e a GM (Guarda Municipal). 

TESTAGEM E SUSPEITAS

De acordo com a secretaria municipal de Saúde, as pessoas com sintomas de covid-19 que buscam as unidades municipais são testadas e a taxa de positividade da doença na cidade tem índice de 2% a 3%, o que mostra que o contágio no município continua baixo neste momento, a exemplo do que foi divulgado no balanço sobre a pandemia no último dia 17. 

Além disso, ainda conforme a pasta, os dados preliminares de um laboratório privado revelam uma positividade para gripe de quase 40%, o que revela que a grande maioria dos casos está relacionada com a Influenza. Por esse motivo, a orientação é que a população procure os serviços de saúde, principalmente, em casos de falta de ar ou febre alta.

O município indica ainda que as pessoas devem manter todos os cuidados recomendados, como uso de máscara e higienização das mãos, além de evitar aglomerações. Essas medidas são válidas para evitar a covid-19, gripe e outras doenças respiratórias. 

CRIANÇAS

Os cuidados também devem ser tomados com as crianças menores de 2 anos. Pais, responsáveis, familiares e conhecidos que tiverem contato com menores desta faixa etária devem, obrigatoriamente, usar máscara. 


Isso porque a presença do vírus sincicial respiratório nas crianças também causou uma alta demanda nas unidades específicas de atendimento de Campinas.

Por conta da alta de internações de bebês e crianças, a Rede Mário Gatti anunciou, no dia 16, a instalação de novos leitos nas unidades municipais. Com isso, segundo a secretaria de Saúde e a Rede Mário Gatti, o município terá em janeiro, 30 vagas deste tipo disponíveis. O total é três vezes maior do que a capacidade disponível atualmente na cidade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários