Estudante fez relatos denunciando abuso pela rede social (Foto: Reprodução)
Estudante fez relatos denunciando abuso pela rede social (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil solicitou à Justiça a prorrogação do prazo da investigação que apura uma denúncia de estupro no rodeio de Jaguariúna. O caso veio à tona na noite do dia 30 de novembro, quando uma estudante universitária de 23 anos denunciou por meio das redes sociais ter descoberto que foi estuprada durante o evento.

A confirmação do pedido de prorrogação foi feita pela SSP (Secretaria de Segurança Pública) de São Paulo nesta terça-feira (4).

Em nota oficial, a pasta disse que "o caso segue em investigação pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Mogi Guaçu, que solicitou dilação de prazo à Justiça. Diligências seguem em andamento e o inquérito policial tramita sob sigilo".

O pedido foi feito ontem, segundo a secretaria. No entanto, o Judiciário encontra-se em recesso até o dia 6 de janeiro. O plantão judiciário está sendo realizado para demandas urgentes, informou o TJ (Tribunal de Justiça).

Por isso, o órgão só poderá informar se o pedido foi aceito ou não na sexta-feira (7).

DENÚNCIA

Por meio de stories no Instagram, Franciane Andrade, que também é influenciadora digital, contou que acordou na madrugada de domingo (28) depois de ter ficado um período inconsciente no show de sábado, e se perder dos amigos . Ela conta que durante a segunda-feira começou a sentir dores e foi até o médico.

"Não sabia que tinha sido violentada. Comecei a sentir dor ontem à noite e vim hoje no médico", disse em um dos vídeos.

Os primeiros vídeos com a denúncia foram gravados por Franciane ainda dentro do hospital. "Não sei como contar para os meus pais, a dor que estou sentindo, saber que estava ainda inconsciente, sem ver quem era", disse, em seguida se indignando com a falta de segurança da festa.

"Jaguariúna tem que se responsabilizar por isso, entrar em contato, eu paguei um dos camarotes mais caros pra ter segurança e ninguém me ajudou, nenhum segurança, ninguém", finalizou.



Franciane revelou ter sido vítima e afirma que usou o Instagram como um meio de pedir ajuda para que seus seguidores mobilizassem as redes sociais e fizessem com quem a organização do evento em Jaguariúna contribuísse para as investigações.

"Eu já chorei muito, acabei de ir atrás do BO, fui no IML aqui de Mogi Guaçu, fiz o exame e a polícia constatou que houve estupro e não sabe me dizer se foi um, dois ou três [homens]", completou, afirmando ter passado por legista e ginecologista e que chegou a tomar remédios contra doenças sexualmente transmissíveis para evitar uma possível gravidez. Ela suspeita que foi dopada ao ingerir bebida no camarote da festa. 

Leia Também



POSIÇÃO DA ORGANIZAÇÃO

Em nota, na época da denúncia, a organização do Jaguariúna Rodeo Festival afirmou que assim que tomou conhecimento do relato de Franciane Andrade, entrou em contato com a jovem e com sua família para prestar toda ajuda e suporte necessários.

"A organização do Jaguariúna Rodeo Festival também está à disposição das autoridades para colaborar com a investigação do ocorrido. A propósito, já estão sendo analisadas as imagens e vídeos das diversas câmeras de segurança do festival", disse o texto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários