Transporte por aplicativo começa a usar QR Code para identificação.
Reprodução/ACidade ON
Transporte por aplicativo começa a usar QR Code para identificação.


Os veículos que fazem transporte por aplicativo devem ter, a partir desta segunda-feira (10), um QR Code para identificar o serviço em Campinas.

O QR code é uma espécie de código de barras estilizado, com figura em quadrado. Quando digitalizada pelo celular, a imagem transmite informações. Segundo a Prefeitura, o código vai possibilitar aos usuários confirmar informações sobre o motorista, gerando mais segurança na hora da corrida.

Antes, em Campinas os veículos tinham a obrigatoriedade de usar uma placa de identificação no exterior do veículo - o que, inclusive, era uma demanda antiga do setor (leia mais abaixo).

A lei que sancionou a mudança foi publicada no dia 22 de outubro. Segundo a publicação, os novos adesivos deverão estar fixados em local visível do para-brisa ou no painel do carro. O QR Code vai conter as informações do motorista, do carro e da autorização para exercer a função.

No QR Code, devem constar as seguintes informações:

- nome e foto do autorizado;

- número do Certificado de Autorização - CA;

- placa, marca e modelo do veículo;

- datas de outorga, emissão e renovação do Certificado de Autorização.


PEDIDO ANTIGO

Segundo o presidente da Emdec, Vinícius Riverete, a mudança veio atendendo os pedidos dos motoristas.

"É uma reivindicação antiga, a placa causava insegurança para eles. Optamos pelo QR Code, de forma mais inovadora. Então a partir de hoje os motoristas podem imprimir o QR para deixar a mostra no painel, ou no vidro se for o caso", explicou. 

Em agosto de 2018, motoristas do transporte por aplicativo fizeram manifestações contra a utilização , principalmente após o latrocínio (roubo seguido de morte) do motorista Amarildo Suffi.

Eles também fizeram um abaixo-assinado na internet contra a medida, porém, na época a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) descartou a retirada da obrigatoriedade do uso da identificação visual pelos motoristas de transporte por aplicativos na cidade.

Em 2019, a Câmara rejeitou um PL (Projeto de Lei) que pretendia mudar a identificação do transporte por aplicativo na cidade. O PL era do vereador Tenente Santini (PSD).

COMO FAZER


Segundo a Emdec, os motoristas terão 30 dias para se adequar a nova lei, com pena de perder o registro. 

Os motoristas que prestam o serviço no município já podem gerar o QR Code no site da Emdec , na seção "Transporte por Aplicativos". É necessário informar CPF e placa do veículo.  

Leia Também

O arquivo, que é gerado no formato PDF, deve ser impresso em papel sulfite ou adesivo e fixado no vidro dianteiro ou no painel frontal do veículo . Para abrir o arquivo, é necessário digitar os seis primeiros dígitos do CPF.

CONSULTA AOS DADOS

Leia Também

Segundo a Emdec, a leitura do código de barras deverá ser feita pelo aplicativo da Emdec, em "Consulta de Transporte", na opção "QR Code". É necessário habilitar o acesso à câmera do smartphone. 


Nessa primeira etapa, o usuário terá acesso à placa do veículo, nome dos condutores cadastrados e empresas para as quais prestam o serviço. Os demais dados serão disponibilizados gradativamente na medida em que forem fornecidos à Emdec pelas empresas.

Atualmente, são 82.523 veículos e 57.310 condutores cadastrados para a prestação do serviço de transporte por aplicativo em Campinas. Esse número não representa, necessariamente, o total de condutores que efetivamente estão operando o serviço.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários