Polícia suspeita que presidente do sindicato dos rodoviários foi executado
Reprodução: ACidade ON
Polícia suspeita que presidente do sindicato dos rodoviários foi executado

A Polícia Civil passou a tarde desta quarta-feira (26) fazendo buscas e ouvindo testemunhas para tentar esclarecer o assassinato do presidente do Sindicato dos Rodoviários de Campinas e Região. A suspeita dos investigadores é que Nilton Aparecido tenha sido executado. 

Ele foi morto, na manhã de hoje, com um tiro à queima-roupa na nuca, em frente à casa onde morava. Os suspeitos do crime ainda não foram localizados. 

Ao todo, quatro pessoas foram ouvidas pela DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa), nesta quarta-feira, incluindo familiares e representantes do sindicato. 

Além disso, os investigadores tiveram acesso à câmeras de segurança que mostram o carro usado pelo assassino durante a ação.

A placa do veículo já foi rastreada, entretanto, segundo o delegado do setor de Homicídios, Rui Pegolo, ainda não há suspeitos do crime. Pegolo não concedeu entrevista à imprensa hoje para detalhar as investigações. 

COMO FOI O ASSASSINATO 

Segundo familiares, por volta das 7h um carro estacionou em frente à casa, na Rua Comandante Herculano Gracioli, no Residencial Genesis, com criminosos anunciando um assalto. 

Os integrantes do carro pediram para que a esposa de Milton entrasse na casa, e em seguida ordenaram que a vítima virasse de costas. Nilton foi morto com um tiro na nuca. 

Leia Também

Após o assassinato, os criminosos fugiram sem levar nada. 

Leia Também


SUSPEITA DE EXECUÇÃO 

Investigadores e familiares trabalham com a hipótese de execução. Nilton foi eleito presidente do Sindicato dos Rodoviários de Campinas e região em agosto do ano passado.

Desde então, segundo a família e o advogado da entidade, ele vinha recebendo ligações com ameaças de morte, e chegou a fazer até um boletim de ocorrência. 

O sindicato dos rodoviários tem histórico de envolvimentos em brigas e já foi alvo de investigação da polícia. As denúncias envolviam crimes de furto qualificado, organização criminosa e lavagem de dinheiro. 


NOTA DE PESAR 

Em nota, a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) e a Setransp (secretaria de Transportes) classificaram como brutal a morte de Nilton. 

"Emdec e Setransp se solidarizam com os familiares; e desejam que as circunstância do assassinato sejam devidamente esclarecidas e os culpados punidos de acordo com a lei", diz o texto.(Com informações da EPTV Campinas).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários