Motoristas fizeram paralisação nesta quinta-feira (27) após assassinato de sindicalista.
Reprodução de vídeo
Motoristas fizeram paralisação nesta quinta-feira (27) após assassinato de sindicalista.


Linhas de ônibus do transporte público municipal de Campinas voltam gradualmente a funcionar após a paralisação dos motoristas durante a manhã desta quinta-feira (27). A greve foi causada após o assassinato de Nilton Aparecido de Maria, presidente do sindicato da categoria, na manhã de ontem (26). 

A volta da operação é feita gradualmente, após o sepultamento.  O velório foi realizado durante a manhã e contou com dezenas de motoristas e sindicalistas. O enterro aconteceu às 13h40.

No final da manhã, a  Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) informou que chegou a protocolar, junto ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho), um pedido de liminar para "garantir a adequada operação do sistema de transporte público coletivo".

Segundo a Emdec, no final da manhã desta quinta-feira, por volta de 11h, 90% das linhas da cidade já estavam em operação, porém apenas com 35% da frota operacional.  

Leia Também

PREJUÍZOS

De acordo com o SetCamp (Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano e Urbano de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas), três garagens foram paralisadas em Campinas. Com isso, cerca de 76 mil passageiros foram prejudicados.  Mais cedo, Emdec informou que de 200 linhas da cidade, 110 estavam paralisadas. 

Leia Também

Por volta de 10h40, o sindicato informou que as concessionárias prestavam atendimento parcial, com atendimento das principais linhas e com um terço da frota operando na rua.

Já no começo da tarde o sindicato disse que  aos poucos a operação vem sendo retomada gradualmente, e no período da tarde a expectativa é que o retorno aconteça em 100% do serviço.

A PARALISAÇÃO

Motoristas de ônibus do transporte público de Campinas e região anunciaram uma paralisação na manhã desta quinta-feira (27) em protesto a morte do presidente do sindicato da categoria, que foi assassinado na manhã de ontem (26).

Motoristas também acabaram bloqueando a Avenida João Jorge e a região do Viaduto Cury, na área central, durante no começo da manhã. Muitos passageiros que estavam nos ônibus foram obrigados a descer dos coletivos e terminar seu trajeto a pé.

Além do transporte coletivo de Campinas, linhas metropolitanas que ligam cidades da região também foram afetadas.

Segundo a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), houve registro de paralisação em 16 linhas intermunicipais da região de Campinas, que atendem principalmente os municípios de Valinhos e Vinhedo na ligação com Campinas. Segundo a empresa, representantes do sindicato impediram a saída dos ônibus no início da operação. 


Durante a tarde, a EMTU afirmou que a circulação das linhas intermunicipais afetadas pela paralisação iniciou há pouco o processo de normalização. A previsão era retorno total é após o horário de sepultamento do sindicalista. 

O Grupo SOU, também informou que "foi surpreendido nesta madrugada com uma paralisação dos motoristas nas cidades de Indaiatuba e Valinhos". Nas linhas municipais o processo também é de retorno gradual.  


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários