Carro destruído pelo fogo foi encontrado pela Polícia Civil.
Reprodução/Wagner Souza
Carro destruído pelo fogo foi encontrado pela Polícia Civil.


Leia Também

A DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa) de Campinas suspeita que um carro queimado encontrado na tarde desta quinta-feira (27) tenha sido usado pelos autores do assassinato do presidente do Sindicato dos Rodoviários de Campinas e Região, Nilton Aparecido. O crime aconteceu na última quarta (26).

A informação foi confirmada pelo delegado responsável pelo caso, Rui Pegolo, logo após a ida da perícia técnica à rua de terra onde o veículo destruído pelo fogo foi achado, no bairro Jardim Novo Mundo, no distrito do Campo Grande.

Ainda segundo Pegolo, não há quaquer vestígio de crime, já que o carro está completamente carbonizado. Ele explica que o foco da polícia agora é identificar o dono através do trabalho de inteligência.

A INVESTIGAÇÃO

A DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa) de Campinas ouviu até o momento seis pessoas ligadas ao presidente do Sindicato dos Rodoviários de Campinas e Região. A principal suspeita é de que ele foi vítima de uma execução.

Entre elas, estão integrantes da chapa que disputou a eleição e que ocupavam a direção da entidade antes do pleito. Segundo o delegado do setor de Homicídios, Rui Pegolo, eles mesmos procuraram a polícia.

O responsável pela investigação disse que é de conhecimento da Polícia Civil que a vítima exercia uma função no sindicato e que havia uma demanda na Justiça por parte da chapa anterior. Por esse motivo, mais sindicalistas devem ser ouvidos.

"Então, a tendência é que a polícia ouça todo mundo. Mas ontem esses integrantes já procuraram e prestaram depoimento, porque se sentiram ameaçados após terem nomes citados em grupos de WhatsApp", disse na entrevista coletiva.

O delegado também informou que uma câmera posicionada perto da residência da vítima não captou com precisão o crime e a placa do veículo usado pelos criminosos. Por isso a ideia é buscar mais imagens de sistemas de monitoramento.



O CRIME


Nilton Aparecido foi morto na manhã de ontem com um tiro à queima-roupa na nuca. Ele estava em frente à casa onde morava. A esposa dele conta que um bandido o rendeu e ordenou que ela entrasse voltasse para dentro do imóvel.

Em seguida, ele ordenou que a vítima virasse de costas e a assassinou com um tiro na nuca.


Segundo familiares, a ação criminosa aconteceu por volta das 7h, quando um carro estacionou em frente à casa, na Rua Comandante Herculano Gracioli, no Residencial Genesis, com criminosos anunciando um assalto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários