Vôlei Renata supera Sada/Cruzeiro e avança à final da Copa Brasil.
Divulgação/Vôlei Renata
Vôlei Renata supera Sada/Cruzeiro e avança à final da Copa Brasil.


O Vôlei Renata garantiu a vaga em mais uma final na temporada 2021/2022. Com jogo irrepreensível taticamente, o time campineiro carimbou a vaga na decisão da Copa Brasil ao derrotar o Sada/Cruzeiro, por 3 a 2 (25/21; 27/25; 25/27; 25/27 e 15/13), em quase três horas de partida na noite desta quinta-feira (27), na Arena Galegão, em Blumenau, sede da fase final da competição. Esta será a terceira vez da equipe de Campinas na final do torneio.

O adversário do Vôlei Renata na decisão será o Fiat Gerdau Minas. As equipes se enfrentam nesta sexta-feira (28), às 21h, no mesmo local. O projeto campineiro retorna a uma final de Copa Brasil depois de seis anos. A última vez foi em 2016, ano em que também chegou à final da Superliga.

Lúcido na partida, o Vôlei Renata não sentiu a ausência do central Lucão, que se recupera de uma lesão no tendão patelar do joelho esquerdo e vai ficar fora por até três semanas. O jovem Adriano, de apenas 19 anos, foi o destaque da partida com 28 pontos, inclusive o que selou a classificação. Temponi veio logo atrás com 19. Os centrais Judson e Barreto, com sete cada, também tiveram papéis importantes, assim como o experiente oposto Evandro. Jogando no sacrifício por conta de uma lesão no cotovelo, o veterano rodou bolas decisivas quando esteve em quadra, cresceu o bloqueio campineiro e foi uma grande figura de liderança.

"Estou muito feliz pela vitória, claro. Ganhar do Sada/Cruzeiro não é fácil. Tivemos nossas dificuldades, nossos problemas, mas saio muito orgulhoso do time, pela dedicação, empenho, luta em todas as bolas, todos os sets. Todos lutaram muito, alguns tiveram mais participação que outros, mas todos estavam ali, guerreando em quadra. Quem tava em quadra, no banco, comissão técnica. Foi uma união, um astral, que contagiou todo mundo. Foi um jogo de altíssimo nível, as parciais foram lá em cima, dificuldade grande, contra um adversário com grande capacidade, que sabe lidar com momentos decisivos e o time, como um todo, não fraquejou. Essa vontade, essa dedicação, junto com o esquema tático, o esmero de todos, desencadeou um processo muito bacana", analisa o técnico Marcos Pacheco. 

O JOGO

A defesa do Vôlei Renata apareceu em momentos decisivos do primeiro set. Logo no início, Barreto cortou a diferença imposta pelo Cruzeiro em belo bloqueio pelo meio (4 a 4). A parcial seguiu equilibrada, mas os campineiros retomaram a frente do placar em toco de Judson novamente pelo meio (16 a 15). Na sequência, Adriano rodou contra-ataque, ampliou a diferença e obrigou os mineiros a pedirem tempo (17 a 15). Na volta, outro belo block de Judson, no simples. Os ponteiros da equipe paulista seguraram bem a pressão, rodando bolas importantes contra o bloqueio triplo. Numa delas, inclusive, Adriano encontrou espaço entre os marcadores e fechou a parcial: 25 a 21.

Consistente e sereno taticamente, o Vôlei Renata não desistiu em nenhum momento do segundo set, mesmo estando atrás do placar em alguns pontos da parcial. Firmes na virada de bola, os paulistas deixaram tudo igual com Adriano em duas oportunidades. Primeiro em bola de check (14 a 14), depois em contra-ataque explorando o bloqueio (19 a 19). Foi justamente na reta final que os comandados do técnico Marcos Pacheco cresceram ainda mais. A liderança veio em bloqueio de Evandro, que obrigou a paralisação cruzeirense (22 a 21). Na sequência, Temponi usou a categoria para ampliar em contra-ataque (24 a 22). Os mineiros conseguiram deixar tudo igual, mas o Vôlei Renata não se abalou, seguiu rodando bolas importantes com seus ponteiros e fechou em bola de check de Barreto: 27 a 25.

Embalado pelo crescimento na parcial anterior, o Vôlei Renata começou o terceiro set com tudo. Depois de sequências de contra-ataques de Adriano e Temponi, os mineiros paralisaram o jogo (6 a 3). Aos poucos, porém, o Cruzeiro reagiu, imprimiu um ritmo forte e assumiu a frente do placar. Os campineiros não desistiram e recuperaram uma desvantagem de dois pontos em contra-ataque de Temponi e bloqueio de Nasser (19 a 19). A equipe celeste voltou a abrir vantagem, mas em outro block do jovem oposto deixou tudo igual (23 a 23). Na reta final, a emoção tomou conta da partida e os cruzeirenses diminuíram após ace: 27 a 25.

O Vôlei Renata não se abalou pelo final da parcial anterior e começou o quarto set dominando e saltou na frente em bloqueio de Barreto (3 a 1). Em passagem de Temponi pelo saque, com direito a ace, os campineiros seguiram firmes no bloqueio e ampliaram a diferença em outro block de Barreto (7 a 2). Mesmo sendo pressionando, o time paulista teve cabeça fria na virada de bola com Temponi e Adriano e foi controlando a parcial. Com a frente do placar no momento decisivo, os comandados do técnico Marcos Pacheco não conseguiram manter a qualidade na virada de bola e o Sada/Cruzeiro forçou o tiebreak: 27 a 25.

Leia Também


Na parcial decisiva, o Vôlei Renata teve a frieza para fechar o jogo. Depois de sair atrás no marcador, o técnico Marcos Pacheco reorganizou a equipe e os campineiros deixaram tudo igual depois de sequência de erros cruzeirenses (5 a 5). O duelo foi equilibrado até o final, com troca de ataques e pontos dos dois lados. No momento crucial, os paulistas conseguiram segurar a virada de bola do Sada/Cruzeiro e rodaram duas bolas seguidas em contra-ataques de Adriano para fechar: 15 a 13.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários