Equipes cumprem mandados em Indaiatuba.
Divulgação/PF
Equipes cumprem mandados em Indaiatuba.


A Polícia Federal de Campinas cumpre na manhã desta quarta-feira (2), em Indaiatuba, mandados contra uma associação criminosa acusada de praticar crimes contra a saúde pública. O grupo é acusado de adulteração de medicamentos.

Os mandados são da segunda fase da operação denominada Mutare, deflagrada pela Polícia Federal de Rondônia. Oito mandados de busca e apreensão são cumpridos em diversos estados do país. Em São Paulo, a operação tem alvos em Indaiatuba, na região de Campinas. 

Além da cidade, são cumpridos mandados em Porto Velho (RO), Uberlândia (MG), Goiânia (GO) e Bela Vista de Goiás. 

Leia Também

A INVESTIGAÇÃO

Segundo a PF, o grupo criminoso era responsável pelo fornecimento e venda de produtos adulterados destinados ao emagrecimento. "Os produtos eram vendidos como suplementos alimentares contendo apenas componentes de origem natural, mas tal fato não ocorria na realidade", explicou a corporação. 

Leia Também

De acordo com a polícia, a adulteração dos medicamentos já havia sido comprovada na primeira fase da Operação Mutare, deflagrada em julho de 2020, e após a análise dos materiais apreendidos, foi possível chegar aos fornecedores dos medicamentos. 


Os investigados responderão pelos crimes de associação criminosa, venda de produto adulterado destinado a fins terapêuticos e medicinais e lavagem de capitais, cujas penas máximas somadas chegam a 28 anos. 

Segundo a PF, o termo "Mutare" , nome da operação, faz alusão ao modus operandi utilizado pelo grupo criminoso na prática dos delitos sob investigação, consistente em adulterar os medicamentos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários