Avenida John Boyd Dunlop, em Campinas.
Reprodução
Avenida John Boyd Dunlop, em Campinas.



Levantamento divulgado nesta sexta-feira (25) pela Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) apontou que a Avenida John Boyd Dunlop, uma das principais vias da cidade na região do distrito do Campo Grande, é recordista de acidentes da cidade. A via também é a que mais mata no trânsito de Campinas.

Dos 2.164 acidentes que aconteceram no ano passado em Campinas, 374 ocorreram na John Boyd, ou seja, 17% do total. Ainda segundo o levantamento, 12 pessoas morreram na avenida no ano passado. 

Um desses acidentes registrou duas vítimas fatais em novembro do ano passado. Dois jovens em uma moto morreram em um acidente de trânsito na via, no trecho da Satélite Iris. O motociclista, de 21 anos, e o garupa, de 16 anos, morreram na hora após baterem de moto contra um poste (leia mais aqui) .

Ainda segundo o balanço, entre os 10 cruzamentos com mais registros de acidente na cidade, oito ficam na John Boyd . A Prefeitura também divulgou a lista dos pontos com mais registro de acidentes (veja abaixo). 

Para tentar reduzir o índice de acidentalidade, a Prefeitura de Campinas anunciou hoje uma campanha com objetivo de reduzir o número de acidentes e mortes na avenida. As ações começaram hoje e seguem até junho. 

LÍDER DE ACIDENTE

A John Boyd Dunlop tem 18 km de extensão e passa por aproximadamente 90 bairros de Campinas, abrangendo uma população aproximada de 200 mil habitantes na região do Campo Grande. A estimativa é que 482 mil veículos passam por mês na avenida. Há anos a via lidera o registro de acidentes de trânsito na cidade. 

Com grande extensão, acidentes ocorrem em diversos trechos da avenida. Entre os principais, estão os trechos próximo à Praça Santa Catarina, na Vila Teixeira, e o anterior ao Corredor BRT Perímetral, que liga os corredores Campo Grande e Ouro Verde.

VEJA PONTOS COM ALTOS ÍNDICES DE ACIDENTALIDADE NA JBD:

- Próximo à Praça Santa Catarina, no sentido bairro-Centro
- Anterior ao Corredor BRT Perimetral, sentido Centro-bairro
- Próximo ao Balão do Londres, sentido bairro-Centro
- Próximo à PUC campus 2, sentido Centro-bairro
- Sobre a Rod. dos Bandeirantes, sentido bairro-Centro
- Próximo à estação BRT Bela Aliança, sentido Centro-bairro
- Anterior ao Terminal BRT Satélite Íris, sentido Centro-bairro
- Região do Terminal BRT Satélite Íris, sentido bairro-Centro
- Próximo à Estação BRT Florence, sentido bairro-Centro
- Próximo à Estação BRT Rossin, sentido Centro-bairro
- Próximo à R. Archilles Bertoldi, sentido bairro-Centro 

A CAMPANHA

Leia Também

Entre os principais problemas causadores de acidentes na via, foi listado pela Emdec o excesso de velocidade, desrespeito à sinalização e consumo de álcool de motoristas que trafegam pelo trecho. 

Com objetivo de reduzir os acidentes, a Prefeitura lançou a campanha "JBD: morte zero no trânsito", que busca zerar o número de acidentes fatais na avenida e conscientizar a população. Segundo a Prefeitura, as ações começam nesta sexta-feira, com blitz, das 10h às 12h, em trechos da avenida. As ações vão até junho. 

Leia Também

A campanha é promovida pela Emdec e pela secretaria de Transporte. As ações contam preveem 40 blitzs educativas e fiscalizatórias em trechos da avenida, reforços de sinalização, reforço de equipamentos de fiscalização, e mensagens educativas.

A Prefeitura também afirma que será feito um mapeamento das necessidades de melhoria de sinalização, desenho viário e acessibilidade na John Boyd, e vai qualificar acionamento dos órgãos de resgate e saúde em casos de acidente. 

"Trabalhamos muito para chegar até aqui e apresentar medidas, fomos cobrados por uma campanha forte na John Boyd. A ideia é reduzir as mortes na John Boyd e chegar até zero", disse o presidente da Emdec, Vinícis Riverete. 

CORRIGIR ERROS

Segundo o presidente da Emdec, a ação contará com ações com possíveis mudanças em trechos da avenida, visando adequação. 

"O foco é corrigir muitos erros e reforçar sinalização. Aceitamos críticas, mas importante dizer que é esse nosso papel. Vamos rever vários pontos, tem locais que vamos reduzir geometria, ampliar faixas de pedestres, mudar tempo de semáforo, todos problemas serão elencados", afirmou Riverete. 

Segundo a Prefeitura, é prevista uma ampliação da campanha para a Avenida das Amoreiras, mantendo o critério de maior número de acidentes. Já no segundo semestre o objetivo é fazer ações em toda a cidade. 

VEJA FASES DA CAMPANHA

FASE 1 (Fevereiro e Março)

- Campanha de comunicação: Painéis, banners, faixas, redes sociais e vídeos;
- 15 blitze educativas e fiscalizatórias: Agentes da Mobilidade Urbana e educadores;
- Auditoria viária: Inspeção para mapear as necessidades de melhoria de sinalização, desenho viário e acessibilidade;
- Reforço da sinalização vertical: 92 placas de regulamentação, de advertência e educativas;
- Implantação de equipamentos de fiscalização eletrônica;
- Formação dos agentes da Mobilidade Urbana para qualificar o acionamento dos órgãos de resgate e saúde, em casos de acidentes de trânsito.

FASE 2 (Abril)


- Campanha de comunicação: painéis, banners, faixas, redes sociais e vídeos;
- 8 Blitzs educativas e fiscalizatórias: Agentes da Mobilidade Urbana e educadores;
- Auditoria viária: Inspeção na Av. JBD para mapear as necessidades de melhoria de sinalização, desenho viário e acessibilidade;
- Intervenções viárias: Desenho de vias e ampliação da acessibilidade;
- Implantação de equipamentos de fiscalização eletrônica;
- Ações intersetoriais: Empresas, escolas e Legislativo;
- Formação dos agentes da Mobilidade Urbana para qualificar o acionamento dos órgãos de resgate e saúde, em casos de acidentes de trânsito.



MAIO AMARELO

- Campanha de comunicação: Painéis, banners, faixas, redes sociais e vídeos;
- Movimento Maio Amarelo;
- Intervenções viárias: Desenho de vias e ampliação da acessibilidade;
- 7 blitze educativas e blitze fiscalizatórias: Agentes da Mobilidade Urbana e educadores;
- Campanha educativa sobre a instalação dos equipamentos de fiscalização eletrônica;
- Ações intersetoriais: Empresas, escolas e Legislativo;
- Formação dos agentes da Mobilidade Urbana para qualificar o acionamento dos órgãos de resgate e saúde, em casos de acidentes de trânsito.

FASE 3 (Junho)

- 10 blitze educativas e fiscalizatórias: Agentes da Mobilidade Urbana e educadores;
- Início da operação dos equipamentos de fiscalização eletrônica;
- Ações intersetoriais: Empresas, escolas e Legislativo.
- Formação dos agentes da Mobilidade Urbana para qualificar o acionamento dos órgãos de resgate e saúde, em casos de acidentes de trânsito.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários