Fila de pais e alunos na Emef Profª Anália Ferraz da Costa Couto, sem saber se crianças iam ter aula ou não.
Sandra Maciel
Fila de pais e alunos na Emef Profª Anália Ferraz da Costa Couto, sem saber se crianças iam ter aula ou não.


Funcionários de uma empresa terceirizada, responsável pelo serviço de limpeza em creches e escolas municipais de Campinas, voltaram a paralisar as atividades na manhã desta quinta-feira (3) em protesto por falta de pagamento . Com os novos prejuízos, a Prefeitura informou que já encaminhou o processo de rescisão do contrato e penalização da empresa responsável. Essa é a segunda paralisação das unidades neste ano pelo mesmo motivo. 

Ainda não há um balanço do total de escolas afetadas pela greve nesta manhã, mas há relatos de pais sobre a falta de aula na CEI Eduardo Pereira de Almeida, no Jardim Nova Europa. Já na Emef Profª Anália Ferraz da Costa Couto, no Jardim Amazonas, pais registraram filas de crianças durante a manhã, sem saber se iam ter aula ou não. Também não está acontecendo aula na CEI Profa. Leonor Motta Zuppi, no distrito de Barão Geraldo. 

No último mês, a greve afetou, por mais de uma semana, creches e escolas de ensino básico de Campinas, deixando alunos sem aulas. 

Os funcionários das escolas acusavam a Especialy, empresa terceirizada, de não honrar com as obrigações trabalhistas, apontando o não pagamento do FGTS, atrasos nos benefícios e de salários. A empresa é contratada para prestar serviço de limpeza em 208 unidades da rede pública da Educação. 

MAIS PROBLEMA

Leia Também

Hoje (3), segundo os funcionários, a reivindicação é pela falta de pagamento do vale-transporte, que segundo eles ainda não foi depositado. Está prevista uma nova manifestação em frente a Prefeitura ainda nesta manhã. 


O QUE DIZ A ADMINISTRAÇÃO

Em nota, a Prefeitura voltou a citar que já deu um 'ultimato' para a empresa responsável, e disse que o processo para estabelecer uma multa está em curso. A Administração afirmou também que irá fazer uma reunião na manhã de hoje com os representantes da Educação e da empresa. 

Leia Também

Veja a nota completa:

"A Prefeitura já deu um ultimato para a empresa Especialy, que presta serviços de limpeza nas escolas municipais. A Secretaria de Educação exigirá o cumprimento de suas obrigações e encaminhou processo de penalização e rescisão do contrato com a empresa. A prestadora já havia sido notificada e autuada e está em curso processo para estabelecer o valor de multa. 

Nesta quinta-feira, novamente a Secretaria de Educação notificou a empresa para prestação de contas e para que coloque em dia suas obrigações junto aos seus trabalhadores. Uma reunião ocorrerá ainda nas primeiras horas da manhã entre representantes da Educação e da empresa. 

A Secretaria monitora neste momento as unidades, para levantar quantas foram afetadas. 

A Prefeitura reitera que os repasses estão em dia para a empresa - que teve os recursos bloqueados devido a uma ação judicial.
O contrato com a Especialy foi firmado em outubro de 2021 e a empresa possui cerca de 700 funcionários. O repasse mensal da Prefeitura é de R$ 2.580.303,30".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários