Suspeito foi preso de forma preventiva hoje.
Reprodução de vídeo/EPTV
Suspeito foi preso de forma preventiva hoje.


Uma mulher que foi vítima do líder espiritual preso ontem (10) em Campinas pela Polícia Civil disse que ele induzia traumas pessoais para justificar os abusos sexuais contra os pacientes.

"Ele ficou um tempo induzindo que eu teria problemas relacionados à sexualidade. E me propôs um desbloqueio de trauma que ele disse que eu tinha. Me pediu para deitar na maca e relaxar que ele ia fazer esse desbloqueio", disse.

Ela registrou boletim de ocorrência hoje (11) de manhã e conta que em 2013 procurou o tratamento holístico. "Quando eu percebi, ele estava me tocando. Abriu a calça, porque disse que através da roupa não seria possível fazer o desbloqueio. E aí ele falava ao mesmo que era para eu não deixar as falas da sociedade de que isso estava errado. Era para eu me entregar ao prazer", contou.

O "guru" de 43 anos foi preso por abuso sexual após um grupo inicial de cinco pessoas registrarem boletim de ocorrência contra ele. A vítima afirmou que fez apenas uma sessão com o homem.

A polícia estima pelo menos 20 vítimas, entre pessoas de Campinas, da capital paulista e até de fora do país. Para o delegado responsável pelo caso, José Roberto Rocha Soares, o homem é "pior que João de Deus". Ele tinha uma clínica em Sousas, que não funciona mais.

ALIENAÇÃO

De acordo com um homem, que concedeu entrevista à EPTV Campinas , ela não sofreu abusos sexuais, mas foi alienado de forma violenta.

"Ele prometia pra mim uma cura de um problema que eu nunca tive. Eu obviamente acreditava, estava fragilizado com minha família, fragilizado com meu emprego e ele acabou se aproveitando disso", disse.

ABUSOS

O caso foi revelado após a prisão ontem, mas os abusos teriam ocorrido ao longo de 10 anos. O líder espiritual é investigado há dois meses pela polícia. Segundo o delegado, o homem dizia à vítima que ia "destravar o fogo" para que ela tivesse cura espiritual.

As sessões de terapia custavam R$ 150 cada e o suspeito não usava camisinha nessas relações. Ele era ainda chamado de "pai espiritual" pelas vítimas.

Leia Também

Suspeito foi preso de forma preventiva hoje (Foto: Reprodução/Larissa Castro)
Suspeito foi preso de forma preventiva hoje (Foto: Reprodução/Larissa Castro)

IMÓVEL

Após anos de relação com o guru, de acordo com o boletim de ocorrência, o homem que foi vítima comprou parte de um imóvel junto com o abusador, mas foi convencido a não registrar no próprio nome.

"Se você não fizer isso você sabe que você vai perder uma certa espiritualidade, você vai perdeu um poder espiritual, vai perder o contato com algo maior", contou ele sobre o argumento usado pelo guru.

OUTRAS VÍTIMAS

Outra cinco vítimas, todas mulheres, também registraram boletins de ocorrência contra o suposto líder espiritual. Os relatos são bem parecidos entre si.

Uma das vítimas conta que ele relacionava todos os problemas dela à sexualidade e que durante muitas sessões sofreu todos os tipos de abuso sexual em nome da cura.

Para outra mulher ele dizia que precisava destravar a vida sexual para que a vida dela prosperasse em todos os sentidos. Desde a primeira sessão ele colocava a mão no corpo da vítima, inclusive em partes íntimas.

Uma terceira mulher tinha um problema de fertilidade que o acusado também associou à necessidade da cura de seu fogo através da espiritualidade. Em uma das sessões com ela, o homem trancou a porta, pediu que a vítima deitasse na maca para começar a cura através de toques.

Em outras sessões, a vítima teve relações sexuais com ele. O homem dizia que era a única forma para ela ser curada. Ela conta ainda que ele dizia que o que acontecia na sala era sagrado e que ninguém poderia saber. 



DEPOIMENTO


O homem de 43 prestou depoimento ontem e foi levado para fazer exame no IML (Instituto Médico Legal). Segundo a polícia, ele abusou sexualmente de pelo menos 20 vítimas na clínica onde oferecia terapia holística por 10 anos.

TORTURA PSICOLÓGICA


Uma vítima que frequentou o clínica por anos conta que demorou para entender que sofria tortura psicológica. Ela se deu conta quando acabou pois viu que a situação não era comum. " Não é normal cortar relação com o pai, amigos, não é normal você apanhar".

Quando as vítimas decidiram falar sobre o que viveram, ela entendeu que o suposto terapeuta seguia um padrão.



FORMADO E PROFESSOR

Formado em matemática e física, o acusado já deu aulas em colégios renomados de Campinas, sendo muitos pacientes eram ex-alunos. A clínica parou de funcionar em dezembro do ano passado quando as denúncias começaram.

O homem foi preso por estupro, mas a polícia também investiga os lucros gerados com os serviços oferecidos. Em depoimento, ele confirmou que a renda mensal, junto com a esposa chegava a quase R$ 70 mil. Ela também deve falar com a polícia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários